Revista Cifras - As notícias do mundo da música
Revista Cifras
Gusttavo Lima
Gusttavo Lima compra seu próprio DVD pirata e posta foto com o camelô
The Cranberries
Veja comunicado policial sobre morte de Dolores O'Riordan, dos Cranberries
Joelma
Joelma dá patadas e bronca em Silvio Santos após provocações do apresentador
Funk
Joana Balaguer critica hit 'Que Tiro Foi Esse?': 'a gente não quer arma'
Igor Miranda
Ver Colunas de Igor Miranda

#artigo

10 curiosidades sobre o hit "Sweet Child O'Mine", do Guns N' Roses

4/22/2015 1:26:08 PM



Um dos grandes hits do rock, "Sweet Child O´Mine" traz a assinatura do Guns N Roses em vários elementos: letras, riffs, solos, cozinha e nos característicos vocais de Axl Rose. Confira abaixo dez curiosidades sobre essa música:

1) "Sweet Child O´Mine" surgiu por acidente. Os integrantes do Guns N Roses moravam juntos no meio da década de 1980. Há várias versões sobre o surgimento da canção, mas a mais comentada é que os guitarristas Slash e Izzy Stradlin, o baixista Duff McKagan e o baterista Steven Adler estavam na sala de estar quando Slash começou a tocar o lick de introdução, acompanhado posteriormente por Adler, que fez uma batida circense. Stradlin pediu para que Slash tocasse a passagem novamente e começou, junto de McKagan, a trabalhar na base. Slash dizia que a sequência que dá início à música é um "exercício pessoal idiota". No andar de cima da casa, Axl Rose ouviu o ensaio e começou a compor a letra. No dia seguinte, começaram a pré-produção de "Sweet Child O´Mine".

2) Axl Rose fez a letra para Erin Everly, sua namorada na época, a quem ele se refere como "doce criança" ("sweet child"). Eles se casaram posteriormente.

3) Em forma de agadrecimento, Axl Rose chegou a oferecer metade dos rendimentos dos direitos autorais da música para Erin Everly, afirmando que jamais teria feito a letra sem ela como inspiração.



4) Erin Everly aparece no videoclipe de "Sweet Child O´Mine", onde os membros da banda tocam a música em um teatro abandonado. Namoradas dos outros membros do Guns N Roses aparecem no clipe, além do cão de Izzy Stradlin logo no início.

5) Existe uma versão alternativa desse videoclipe, com imagens diferentes e a metragem inteiramente preta e branca, que não está disponível no YouTube.

6) Quando a demo da música ainda estava sendo gravada, o produtor Spencer Proffer sugeriu uma parte adicional à música, pois ela se encerrava no solo do meio. Ele disse para os músicos pensarem em um "breakdown", momento em que a canção cai. Eles aceitaram, mas não sabiam o que fazer. Axl Rose começou a dizer para si mesmo "Where do we go? Where do we go now?" ("Para onde vamos? Para onde vamos agora?") e Proffer indicou justamente esse verso como trecho da parte "breakdown".

7) "Sweet Child O´Mine" foi editada e encurtada para o videoclipe da MTV e estações de rádio, com cortes nos solos de guitarra, inclusive do tão famoso riff inicial. A faixa passou de 5min56seg para 4min20seg. Isso gerou a ira dos membros do grupo, incluindo Axl Rose, que fez o seguinte comentário para a revista Rolling Stone em 1989: "Odiei a edição que fizeram na música. As estações de rádio me disseram que os vocais não seriam cortados, mas a minha parte preferida da canção era justamente os solos de guitarra. Não havia razão para que tivessem diminuido a música, exceto por quererem abrir mais espaço para os anúncios publicitários e com isso os proprietários das rádios faturarem mais dólares".

8) Um cover de "Sweet Child O´Mine" foi feito por Sheryl Crow e incluído no filme "O Paizão", de 1999. A canção aparece em uma cena onde Sonny Colfax (Adam Sandler) fica pensando em sua "doce criança", seu filho adotivo.

9) Em 2008, a versão original de "Sweet Child O´Mine" foi incluída na trilha sonora do filme "O Lutador". No entanto, devido ao pequeno orçamento disponível (US$ 6 milhões), Axl Rose cedeu o uso da música sem que fosse necessário qualquer pagamento.

10) A música chegou ao topo das paradas dos Estados Unidos, se tornando a primeira e única faixa do Guns N Roses a chegar à primeira posição dos charts da Billboard. No levantamento geral do ano de 1988, foi considerada a quinta música do ano. No Reino Unido, chegou ao sexto lugar em 1989, quando foi relançada.

por Igor Miranda

#suaopinião

Revista Cifras
Petaxxon Comunicação Online

© Copyright 2018

notícias | artigos | entrevistas | videos

©2018 Petaxxon Comunicação Online