Revista Cifras - As notícias do mundo da música
Revista Cifras
Mc Anitta
Anitta lança 'Downtown', parceria com J Balvin
AC DC
Luto: aos 64 anos, morre Malcolm Young, do AC/DC
João Gilberto
Criador da bossa nova, João Gilberto vive em 'absoluta penúria financeira'
The Grammy Awards
'Despacito' domina Grammy Latino 2017 com quatro prêmios
Igor Miranda
Ver Colunas de Igor Miranda

#artigo

75 anos sem Robert Johnson: a misteriosa história de um dos precursores do blues

8/16/2013 3:24:00 PM
(Foto: Divulgação)

O primeiro integrante do célebre "grupo dos 27", com músicos que morreram com esta idade, é o icônico Robert Johnson. O cantor e guitarrista, nascido em Hazlehurst, Mississippi, Estados Unidos, tem uma história enigmática.

Considerado por muitos um dos precursores do blues (mesmo não tendo sido de fato o inventor), é citado como influência por músicos do calibre de Led Zeppelin, Bob Dylan, The Rolling Stones, Eric Clapton e diversos outros, além de todo o estilo que teve a sua genialidade sentida diretamente.



Há divergências sobre a sua data de nascimento, mas a mais repercutida é a de 8 de maio de 1911. Vale ressaltar, aliás, que pouco de sua vida é conhecido atualmente, mesmo com todas as pesquisas sobre sua biografia. O admirador e conhecido cineasta Martin Scorsese chegou a comentar: "o legal sobre Robert Johnson é que ele só existiu em seus discos. Ele foi pura lenda".

Durante sua curta carreira, Johnson gravou 29 músicas que impuseram o padrão métrico do blues, principalmente pelo uso de doze compassos, além dos costumeiros tipos de acordes. Suas mudanças, aliás, tiveram notoriedade ainda maior no rock n´roll, criado anos depois.

Poderia ter produzido mais se tivesse mais recursos para a época, além da morte precoce. Johnson foi vítima de envenenamento em um whisky,
supostamente feito pelo dono do bar Tree Forks, cuja mulher estava sendo flertado pelo músico.



Robert ainda recebeu o aviso de Sonny Boy Williamson, que supostamente sabia e tentou avisá-lo. Mas de nada adiantou. O envenenamento foi devidamente superado, mas, enfraquecido, contraiu uma pneumonia na mesma época e faleceu três dias depois, em Greenwood, Mississippi, há exatos 75 anos.

O músico Son House, contemporâneo de Johnson, ainda inventou o célebre mito de que ele havia vendido a alma para o diabo em uma encruzilhada, em troca de habilidades com o violão e a guitarra. A lenda é citada no filme "Crossroads" e em um episódio da série "Supernatural", além de diversas outras referências na cultura popular.

Veja alguns músicos tocando músicas de Robert Johnson décadas após sua morte:

Cream: "Crossroads" (adaptação de "Cross Road Blues")



Red Hot Chili Peppers: "They´re Red Hot"



Led Zeppelin: "Travelling Riverside Blues"



Buddy Guy: "Sweet Home Chicago"



Rolling Stones: "Love In Vain"



Robert Johnson: "Me And The Devil Blues"

por Igor Miranda

#interessante

#suaopinião

Revista Cifras
Petaxxon Comunicação Online

© Copyright 2017

notícias | artigos | entrevistas | videos

©2017 Petaxxon Comunicação Online