Revista Cifras - As notícias do mundo da música
Revista Cifras
AC DC
Luto: aos 64 anos, morre Malcolm Young, do AC/DC
João Gilberto
Criador da bossa nova, João Gilberto vive em 'absoluta penúria financeira'
The Grammy Awards
'Despacito' domina Grammy Latino 2017 com quatro prêmios
Anitta
Anitta está oficialmente 'casada' com Thiago Magalhães
Igor Miranda
Ver Colunas de Igor Miranda

#artigo

Guns N' Roses: 25 anos de "Lies"

11/28/2013 9:33:09 PM
(Foto: Reprodução)


Guns N Roses - GNR Lies
Lançado em 29 de novembro de 1988


Bastou um álbum para que o Guns N Roses se tornasse a maior banda de rock do mundo naqueles dias. "Appetite For Destruction" pode ser considerado como o começo da banda (como o óbvio permite concluir), mas também pode ser tratado como o começo do fim. Foi o início da construção de um monstro chamado Axl Rose. Mas não estou aqui para discutir conduta moral, nem falar sobre o que ocorreu após o contexto dessa época.

"GNR Lies", ou simplesmente "Lies", foi lançado no fim de 1988 após a Geffen Records constatar a mina de ouro que o Guns N Roses representava e, consequentemente, fechar contrato para mais discos. As quatro primeiras faixas não são inéditas, pois são as mesmas que constituem o EP "Live ?!*@ Like a Suicide", primeiro lançamento oficial do grupo. As quatro na sequência, são inéditas - e acústicas. Esse é o último registro de estúdio que conta com a presença de Steven Adler nas baquetas, pois algum tempo depois foi demitido, devido aos abusos de tóxicos que geraram desgastes internos.

É interessante observar como "Lies" representa extremos e, mesmo assim, soa homogêneo. A primeira metade do álbum traz a crueza da banda que foi considerada "a mais perigosa do mundo". Duas composições próprias nunca foram relançadas nos full-length ("Reckless Life" e "Move To The City") e duas versões para pedradas do Aerosmith e Rose Tattoo ("Mama Kin" e "Nice Boys", respectivamente).



O instrumental visceral e roqueiro recebeu leve tratamento de estúdio - em 1986, o orçamento era limitado, pois eram independentes. Os vocais agudos e berrados de Rose, que cantava letras pouco conservadoras, marcam os primeiros 14 minutos de duração da bolacha.

A segunda metade é marcada pela presença de violões e até mesmo ausência de bateria em algumas músicas. Mesmo assim, nota-se facilmente que são os caras tocando, principalmente pela pegada inconfundível de Slash, pelas habilidades de composição de Izzy Stradlin, pela sólida cozinha (quando aparece) de Duff McKagan e Steven Adler e pelas vozes de Axl Rose, agora mais calmas mas repletas de identidade.

Além das conhecidas "Patience" e "Used To Love Her", desse lado há a regravação de "You´re Crazy", anteriormente lançada no "Appetite For Destruction" numa versão bem mais rápida; e a polêmica "One In A Million", que gerou alvoroço pelo uso dos termos "niggers" e "faggots" em sua letra, se referindo à negros e homossexuais de forma pejorativa.



Mesmo com essa controvérsia, "Lies" vendeu bastante. Aliás, nessa época, bastava ter controvérsia para vender. O álbum conquistou a segunda posição das paradas norte-americanas e hoje já coleciona 5 milhões de cópias vendidas por lá, além de 11 milhões por outros cantos do mundo. À época, o single de "Patience" atingiu o 4° lugar dos charts da terra do Tio Sam e o top 10 de vários países, incluindo o Reino Unido e a Holanda.

Além disso, "Lies" teve uma clara função: manter o Guns N Roses no topo. Ainda mais se for considerado que, das oito, apenas três são canções realmente novas ("You´re Crazy" é uma versão de uma canção já lançada por eles mesmos). Tiveram êxito nisso, tanto que alavancou novamente as vendas de "Appetite For Destruction", que atingiu mais uma vez o primeiro lugar nos Estados Unidos e não permitiu que o novo lançamento chegasse ao topo. Independente disso, vale a pena conferir mais esse petardo da trupe do W. Axl Rose.



Axl Rose - vocal, percussão
Slash - guitarra, violão
Izzy Stradlin - guitarra, violão, backing vocals
Duff McKagan - baixo, violão em 5 e 8, backing vocals
Steven Adler - bateria, percussão, backing vocals

Músicos adicionais:
Howard Teman - percussão
Rick Richards - percussão

01. Reckless Life (Live)
02. Nice Boys (Live - Rose Tattoo cover)
03. Move To The City (Live)
04. Mama Kin (Live - Aerosmith cover)
05. Patience
06. Used To Love Her
07. You´re Crazy (Acoustic version)
08. One In A Million

por Igor Miranda

#interessante

#suaopinião

Revista Cifras
Petaxxon Comunicação Online

© Copyright 2017

notícias | artigos | entrevistas | videos

©2017 Petaxxon Comunicação Online