Revista Cifras - As notícias do mundo da música
Revista Cifras
AC DC
Luto: aos 64 anos, morre Malcolm Young, do AC/DC
João Gilberto
Criador da bossa nova, João Gilberto vive em 'absoluta penúria financeira'
The Grammy Awards
'Despacito' domina Grammy Latino 2017 com quatro prêmios
Anitta
Anitta está oficialmente 'casada' com Thiago Magalhães
Igor Miranda
Ver Colunas de Igor Miranda

#artigo

Top 10: as melhores músicas desconhecidas do AC/DC

2/28/2014 3:43:35 PM
(Foto: Divulgação)


Com clássicos conhecidos por qualquer fã de Rock que se preze, algumas boas músicas na carreira do AC/DC acabam passando batidas. Conheça dez canções um pouco mais obscuras cujas audições são recomendadíssimas.

OBS: a lista está organizada por ordem cronológica.

"Love Song" (High Voltage: versão australiana - 1975): provavelmente a única música que é dignamente uma balada da história do AC/DC. Tem a impressão digital da banda, mas obviamente um pouco mais melódica.



"Love At First Feel" (Dirty Deeds Done Dirt Cheap - 1976): um Hardão arrastado com influência Blues e o pleno destaque à voz de Bon Scott. Digno.



"Crabsody In Blue" (Let There Be Rock - 1977): bluesão clássico bastante esquecido na carreira do AC/DC. Grande performance dos irmãos guitarristas Angus e Malcolm Young.



"Kicked In The Teeth" (Powerage - 1978): frenética e exalando a atitude que é de praxe no AC/DC de Bon Scott. Essa música tinha moral para se tornar clássica. Só faltou um refrão de impacto.



"Beating Around The Bush" (Highway To Hell - 1979): uma das mais insanas músicas lançadas pelos australianos. O riff inicial resume tudo o que há para se dizer dessa canção.



"Let Me Put My Love Into You" (Back In Black - 1980): outra que tinha moral para se tornar clássica - e até um bom refrão marca presença. Mas ficou ofuscada em um trabalho repleto de canções que marcaram época. Nada que tire a sua magnitude, diga-se de passagem. Uma das melhores da lista.



"Inject The Venom" (For Those About To Rock - 1981): rock n roll pra beber cerveja e amassar a latinha na testa. A atitude intrínseca aos riffs, à seção rítmica e à performance de Brian Johnson é louvável e - desculpem o saudosismo - rara nos dias de hoje.



"Boogie Man" (Ballbreaker - 1995): o elemento blues sempre esteve presente no som AC/DC, mas deixou de estar escancarado após o falecimento de Bon Scott - aparentemente o verdadeiro entusiasta da influência. Mas Ballbreaker marca a volta desse aspecto e essa canção reflete o bom momento.



"Can´t Stand Still" (Stiff Upper Lip - 2000): a introdução já vale por toda a música, mas vale a pena ouvir o resto. Mais uma que só poderia ter sido feita pelo AC/DC - e mais ninguém no mundo. Vale ressaltar que a guitarra solo dessa música é tocada por Malcolm Young.



"Stormy May Day" (Black Ice - 2008): na levada de um slide guitar, temos uma das mais injustiçadas músicas do mais recente trabalho do AC/DC. Tem cara de single que agradaria qualquer fã de rock n roll.

por Igor Miranda

#interessante

#suaopinião

Revista Cifras
Petaxxon Comunicação Online

© Copyright 2017

notícias | artigos | entrevistas | videos

©2017 Petaxxon Comunicação Online