Foto: Reprodução/Instagram

Os números do sucesso: todos os recordes históricos que Drake já bateu

O canadense Drake, nascido Aubrey Drake Graham em 24 de outubro de 1986, é o maior astro do rap da atualidade. Com data marcada para se apresentar no Brasil pela primeira vez, no Rock in Rio 2019, o rapper carrega números impressionantes e vem quebrando recordes inacreditáveis durante a sua carreira.

Entre 2007 e 2009, lançou suas primeiras mixtapes, ainda fortemente influenciado pelo rap de Lil Wayne (que depois virou seu grande patrocinador de início de carreira), mas foi com ‘Thank Me Later’ (a maior estreia de 2010) e ‘Take Care’ (2012) que seu nome começou a virar um colosso.

Ocupando, hoje, um lugar privilegiado no cenário musical, Drake também é protagonista do movimento global de “retorno” aos singles, território que domina como poucos – as melhores músicas de seus álbuns são quase sempre lançadas antes e geram bastante barulho em todo o mundo.

No mundo dos números das plataformas da web, Drake foi anunciado no ano passado como o primeiro artista a passar dos 50 bilhões de streamings no mundo, cálculos da Forbes. Além disso, o rapper é dono de dezenas de outros recordes de paradas e serviços, incluindo alguns deixados por grandes nomes da música mundial, como os Beatles e Michael Jackson.

O fenômeno de ‘Scorpion’ nas plataformas de streaming

‘Scorpion’, o álbum mais recente de Drake, quebrou praticamente todos os recordes do setor, passando a ser o álbum com mais streamings no dia do lançamento e no ano. Com os singles ‘God’s Plan’ e ‘Nice For What’ lançados anteriormente, ele já havia se tornado o primeiro artista na história a substituir seu próprio #1 na parada da Billboard.

Quando todas as canções de ‘Scorpion’ entraram simultaneamente na lista das 100 mais tocadas nos Estados Unidos, ele quebrou seu próprio recorde de maior número de canções ao mesmo tempo na parada. Além das 25 músicas do disco, as parcerias ‘Look Alive’ com Blocboy e ‘AfterDark’ com Major e Ty Dolla Sign o deixaram com 27 aparições simultâneas. O número anterior pertencia a ele mesmo, com 24.

Apple Music e Spotify, duas das maiores empresas do setor, informaram que registraram níveis de audiência sem precedentes no primeiro dia do lançamento: 170 milhões de vezes em 24 horas, informou a Apple – o maior número já registrado por qualquer serviço de streaming para um álbum em apenas um dia, apesar de ter menos usuários que o Spotify.

Misteriosamente, o álbum só chegou ao Spotify duas horas depois e, mesmo assim, a plataforma também registrou um número recorde: o álbum completo foi reproduzido 132 milhões de vezes durante o primeiro dia. Só pra comparar, quem saber quem detinha o recorde anterior? O álbum ‘Beerbongs and Bentleys’, de Post Malone, com 79 milhões de plays nas primeiras 24 horas.

Em seguida, Drake também foi o primeiro artista a ultrapassar um bilhão de reproduções por streaming mundialmente em todas as plataformas em uma semana do lançamento.

Ultrapassando os Beatles e Michael Jackson

Após o lançamento de ‘Scorpion’, Drake conseguiu emplacar, simultaneamente, sete canções entre as 10 primeiras das paradas de singles dos Estados Unidos, a ‘Hot 100’ da Billboard. Esse recorde pertencia aos Beatles desde 1964, com cinco, no auge da fama da banda britânica.

Ainda em 2018, com os hits de ‘Scorpion’, Drake fechou o ano batendo outro recorde histórico deixado pelos Beatles: conseguiu emplacar 12 faixas no Top 10 durante todo o ano. Em 1964, os ingleses haviam conseguido essa marca com 11 canções.

Recentemente, o rapper decidiu tirar sarro da situação e fez uma nova tatuagem no braço: o desenho traz a famosa imagem onde os integrantes do grupo atravessam a Abbey Road, na cidade de Londres. O detalhe inusitado é que, na tatuagem, Drake aparece à frente dos Beatles, aparentemente acenando para eles.

Veja também:
Após bater recordes históricos, Drake faz tatuagem zoando os Beatles

O álbum levou Drake a ultrapassar, também, um recorde deixado por Michael Jackson: com 31 canções entrando para o ‘Top 10, ele passa a ser o artista masculino solo com mais faixas nas dez mais. O Rei do Pop contava com 29 e passou a ter 30 com a ajuda do próprio Drake, que lançou um dueto póstumo com Michael em ‘Scorpion’, ‘Don’t Matter To Me’.

No ranking geral, ele não está muito longe de vencer, novamente, os Beatles, que são os segundos colocados com 34 hits. Madonna vem na primeira posição, com 38. Empatada com ele no 3º lugar, está a cantora Rihanna.

Drake, o maior vencedor do Billboard Music Awards

Em maio deste ano, a cidade de Las Vegas reuniu os principais nomes do showbiz com a edição 2019 do ‘Billboard Music Awards’, premiação oferecido pela revista Billboard que homenageia os nomes de maior sucesso nas paradas musicais.

Levando pelo segundo ano consecutivo o troféu mais importante da noite, de ‘Artista Principal’, Drake tornou-se a pessoa mais premiada em toda a história do evento. Ao total, são 27 troféus, 12 conquistados apenas nesta edição.

Em 2017, ele também havia quebrado um recorde na premiação: abocanhou 13 troféus no mesmo ano. Esse é o maior número de troféus já entregue na cerimônia para um único artista.

Outros recordes

  • Drake foi o artista mais vendido no ano de 2016;
  • ‘Scorpion’, álbum duplo de 25 faixas, vendeu cerca de 731 mil unidades nos Estados Unidos ao longo da semana de lançamento, tornando-se o disco mais vendido de 2018 (de longe!);
  • Mais entradas na parada ‘Hot 100’ da Billboard (a principal dos Estados Unidos) por um artista solo, com 154 singles, em abril de 2017 (bem antes de lançar ‘Scorpion’ e começar a quebrar seus próprios recordes);
  • O álbum ‘More Life’, de 2017, também foi o álbum mais ouvido no primeiro dia de lançamento na história do Spotify até então;
  • Quando recebeu 13 nomeações para o ‘American Music Awards’, em 2016, ele bateu o recorde de maior número de indicações deixado por Michael Jackson, com 11, em 1984.
Compartilhar