Gametas: a banda nacional que você precisa ouvir em 2013 - Revista Cifras

Gametas: a banda nacional que você precisa ouvir em 2013

Gametas: “Supersônico” [2012]

O início da existência dos Gametas se deu em 2000, continuando até 2007 com uma “existência efêmera”, segundo o próprio frontman Paradise Von Drakulelvis em entrevista concedida ao site Van do Halen. Apenas em 2008, com a parceria entre Paradise e o guitarrista Iuri Escabroso, o grupo da capital carioca passou a ter a cara de hoje em dia. A formação é completa por Thiago Loverboy (baixo) e Rafael Bralha (bateria).

Autointitulado, o primeiro registro dos Gametas foi lançado em 2010 com músicas feitas de 2000 até 2009. Três anos depois, a banda voltou com o álbum “Supersônico”, gravado por Fábio Brasil (Detonautas) e mixado por Lisciel Franco. O produto físico impressiona. Além do trabalho gráfico minimalista e de qualidade, o encarte acompanha um pôster com várias homenagens das fãs – as gametetes. Nunca vi tanta mulher nua e semi-nua em um pôster só. Mas vamos ao conteúdo musical.

Ouça abaixo ao álbum:

Veja também:  One Direction e Ariana Grande são os grandes vencedores do MTV EMA 2014; veja shows

A abertura com “Boa Noite, Almas Penadas” não poderia ser mais adequada. Um som bem pra cima, transitório entre Punk, Hard Rock e Pop Rock, com letras isentas de pudor e instrumental simples e direto. “Vampiro Pornô” segue bem voltada ao Hard Rock, com o acréscimo de riffs realmente poderosos e um baixo realmente pulsante. A lírica, curiosa e metafórica, trata de um cara que gosta de fazer sexo oral em mulheres… menstruadas. “A Garota Do Ginásio” é um formidável Power Pop com uma leve dose adicional de peso. Destaques para as vozes de apoio, altamente climáticas.

“Menino Lobisomem” coloca o pé no acelerador com irreverência e um trabalho instrumental que, ao mesmo tempo que traz peso, também proporciona ganchos melódicos. Nem mesmo na balada “Tmda (Toque Mágico Do Amor)”, os Gametas ficam no óbvio. A letra completamente ambígua e o som grudento reforçam a tônica da originalidade. “Beth Cemitério” é uma boa releitura brazuca de “Pet Sematary”, clássico dos Ramones.

Veja também:  Entrevista: CPM 22 volta às raízes punk rock com "Suor e sacrifício"

“Teu Namorado É Gay”, cujo tema é óbvio em seu título, alia a letra – que beira o genial de tão escrachada – a um instrumental puramente rock n roll. Oportunidade perfeita para as guitarras brilharem. A faixa título é uma boa balada, com potencial de single. “Menina Popular” tem um apelo Pop Rock mas ainda mantendo a marca dos Gametas: guitarras bem trabalhadas, cozinha de presença e, mais uma vez, letras escrachadas. Teclados ao fundo dão a ambientação necessária.

“Dublê de Rockstar”, hard rock de atitude, traz uma crítica válida a todos aqueles “músicos pela diversão”, que tocam em troca de cerveja e desvalorizam o tão falado underground – que, por incrível que pareça, está repleto de gente séria. “Eu Quero Que Você Morra!” fecha o álbum com chave de ouro aprensentado um novo olhar para músicas baseadas em dores de cotovelo.

Veja também:  Charge: Epa, epa, epa...

“Supersônico” é um álbum bem produzido, com instrumental formidável, bons vocais principais e vozes de apoio, letras criativas, versatilidade e o mais importante: criatividade. Nesse registro, os Gametas mostraram que têm capacidade para ir ainda mais longe.

Para adquirir uma cópia do álbum “Supersônico”, entre em contato através da página do Facebook da banda. Para efetuar download, clique AQUI. Mas não deixe de comprar se curtir.

Paradise Von Drakulelvis (vocal, guitarra)

Iuri Escabroso (guitarra, vocal)

Thiago Loverboy (baixo)

Rafael Bralha (bateria)

01. Boa Noite, Almas Penadas

02. Vampiro Pornô

03. A Garota Do Ginásio

04. Menino Lobisomem

05. Tmda (Toque Mágico Do Amor)

06. Beth Cemitério (Pet Sematary)

07. Teu Namorado É Gay

08. Supersônico

09. Menina Popular

10. Dublê De Rockstar

11. Eu Quero Que Você Morra

#comentários

Compartilhar