Foto: Reprodução/Twitter morte de claudinho e buchecha

Morte de Claudinho, da dupla com Buchecha, parou o Brasil em 2002

Amigos de infância, Cláudio Rodrigues de Mattos e Claucirlei Jovêncio de Souza tornaram-se Claudinho e Buchecha e chegaram ao auge no final da década de 1990. Com as animadas ‘Conquista‘, ‘Só Love‘ e ‘Quero Te Encontrar‘, a dupla conquistou o Brasil, mas teve a ascensão interrompida pela tragédia: a morte de Claudinho.

Em 13 de julho de 2002, os dois e a equipe estavam voltando de um show da turnê do álbum ‘Vamos Dançar’, o sexto da dupla, em carros separados quando o veículo onde Claudinho estava derrapou e bateu em uma árvore na rodovia Presidente Dutra, na descida da Serra das Araras, perto da cidade de Seropédica, no Rio de Janeiro.

Veja também:
'Meu mundo caiu': o último dia e os detalhes da morte de Maysa

Aos 26 anos de idade, Claudinho morreu ainda no local em meio às ferragens do carro. Quem dirigia o veículo era o motorista Ivan Crespo Manzieri, que foi socorrido em estado grave, sobreviveu e foi processado anos depois.

A noite do acidente que causou a morte de Claudinho

Na noite anterior, Claudinho e Buchecha tinham se apresentado na cidade de Lorena, no interior de São Paulo, e retornavam ao Rio de Janeiro, onde moravam.

Chovia muito naquele início de madrugada e, minutos antes do acidente, a equipe parou para comer em uma lanchonete na estrada. Foi nesse momento que DJ Tralha, que dirigia o veículo do acidente até então, decidiu seguir viagem na van da equipe e passou o volante para Manzieri.

Buchecha estava na van que estava logo atrás e viu o acidente cerca de dez minutos após ter ocorrido. Conforme notícias da época, ele precisou ser levado para casa sob efeito de sedativos.

Processos judiciais

Quase dez anos depois do acidente, a concessionária Nova Dutra foi condenada a pagar indenização de R$ 13.460,39 pelos danos causados ao veículo e uma pensão mensal de R$ 2.051,23 para a viúva de Claudinho, Vanessa Alves Ferreira, até que ela complete 70 anos de idade, além de multa de R$ 500 mil por danos morais.

Para o processo, Vanessa alegou que as condições da via – que não tinha mureta no acostamento e outras irregularidades – contribuíram para a fatalidade do acidente, além de citar que a morte precoce do cantor causou danos materiais e morais.

Veja também:
Mariano, dupla de Munhoz, testa positivo para o novo coronavírus

A empresa, por sua vez, atribuiu a culpa ao motorista, alegando que ele estava em alta velocidade, dormiu ao volante e teria feito uso inadequado do acostamento – o que teria levado à morte de Claudinho.

Acusado de homicídio culposo na direção de veículo automotor, Manzieri foi absolvido pela Justiça da Comarca de Seropédica, na região metropolitana do Grande Rio. Para o promotor responsável, o acidente foi uma fatalidade, já que não há prova de excesso de velocidade nem de que o motorista tenha, de fato, adormecido ao volante.

Insubstituível

Alçados ao sucesso com a música ‘Rap do Salgueiro’, Claudinho e Buchecha estiveram juntos por muitos anos. O último álbum lançado por eles traz a canção ‘Fico Assim Sem Você’, que conta com o trecho quase premonitório “Buchecha sem Claudinho”.

E foi assim que o cantor seguiu sua carreira: sem o companheiro de palco e ninguém para substituí-lo.

Em entrevista ao ‘TV Fama’ em dezembro de 2019, Buchecha afirmou que nunca considerou ter outro parceiro musical, porque sempre veria Claudinho.

“A gente era amigo desde os sete anos. Tivemos memórias boas. Se eu tivesse outro parceiro, veria a imagem do meu antigo. Isso é ruim demais. Claudinho era um irmão insubstituível”, explicou.

Na mesma época, Buchecha confirmou que a história dos dois será levada para as telonas no filme ‘Nosso Sonho’, que era previsto para estrear ainda em 2020, mas que segue até hoje sem data definida.

“Pegaram histórias da minha família, coisas que eu contei sobre nós, da família do Claudinho, relatos de fãs. Está bem completo”, resumiu ele em entrevista ao colunista Leo Dias.

Compartilhar