Foto: Wikimedia Commons

Red Special: a guitarra que Brian May, do Queen, construiu com o pai

Sem dinheiro para comprar uma Gibson ou uma Fender, o adolescente Brian May, que viria a alcançar a fama como guitarrista da banda Queen, fabricou a própria guitarra com o pai: a Red Special.

A história do nascimento da icônica guitarra, que acompanha Brian May desde as primeiras gravações com Freddie Mercury, Roger Taylor e John Deacon, começou em agosto de 1963.

Veja também:
A causa da morte de Elvis Presley e os últimos momentos dele

“Aos 16 anos, eu queria desesperadamente uma guitarra elétrica decente, mas não tínhamos condição de pagar por isso. Então, meu pai e eu começamos a fazer uma”, relembrou o guitarrista em entrevista ao jornal ‘The Guardian’, em 2014.

Chamada carinhosamente de Old Lady (Velha Senhora), a Red Special de Brian May foi feita a partir de uma madeira de mogno centenária, que um amigo da família pretendia descartar. Ao saber disso, Harold, o pai de Brian, interveio e pediu o material para aproveitá-lo no projeto do filho.

“Projetei um instrumento a partir do zero, com a intenção de que ele tivesse uma capacidade além de qualquer coisa que já existisse”, explicou May. “Que fosse mais afinável, com uma maior variedade de tons e sons, com um tremolo melhor e capacidade de retroalimentação no ar de uma maneira ‘boa’ – ou seja, em um modo autossustentável”, completou.

Veja também:
Por que o Iron Maiden é tão famoso no Brasil?

Seguindo o projeto do filho, Harold começou a construir o instrumento. Eles usaram a madeira para fazer o braço do instrumento, que, inicialmente, ganhou o nome provisório de ‘Brian May Special’. O músico não curtiu muito a sugestão, mas não questionou nem escolheu outro título.

Já começando a ficar famoso, o guitarrista foi questionado sobre qual era o nome daquele instrumento tão fora do convencional. Brian May juntou a cor da guitarra e o nome inicial dado pelo pai, e assim nasceu a nomenclatura para a icônica Red Special.

Construindo a Red Special

O mogno doado pelo amigo da família de Brian May foi transformado no braço da guitarra. O carvalho de uma mesa serviu para confeccionar a escala de 24 trastes – que era considerada inovadora para a época.

O que sobrou da velha mesa ainda foi usado para a parte central do corpo do instrumento, que é semi-sólido – ou seja, com braço parafusado usando um parafuso grande e dois pequenos do lado de dentro.

Fazer a guitarra do zero permitiu que Brian May, que já tinha o costume de criar objetos com o pai, colocasse na Red Special algo que notou que faltava a outras guitarras. O jovem músico escolheu bem como fazer as cavidades internas do instrumento, com o objetivo de ter um feedback de uma forma controlada.

Para o mecanismo do tremolo, o guitarrista do Queen usou uma faca de cozinha e molas da suspensão de uma moto velha, além de dois parafusos e um pedaço de aço.

Foto: Divulgação

Construída pelas mãos do pai, a Red Special também teve um toque da mãe de May, a dona Ruth. Uma agulha de crochê – que ele pegou emprestada – foi usada para a alavanca. Já as marcações saíram diretamente de uma caixa de botões da mãe dele.

Por fim, a Old Lady foi polida e envernizada em vermelho. Ao todo, Brian e Harold levaram cerca de 2 anos para construir a guitarra. Ela custou cerca de oito libras (o equivalente a R$ 43 atualmente). Hoje, a guitarra feita em casa tem valor inestimável e histórico.

“Meu pai tinha o conhecimento e as habilidades técnicas para tornar o sonho realidade”, refletiu May. “O resultado, depois de dois anos de trabalho no tempo livre, exclusivamente com ferramentas manuais, foi o instrumento que agora chamo de ‘Red Special’ – ou ‘Old Lady’ – a guitarra que faz parte de mim ao longo de 30 anos ao vivo, shows e trabalhos de estúdio com o Queen, em todo o mundo”, concluiu.

Brian May com a Red Special na juventude (Foto: divulgação)

Réplicas da Red Special

Réplica feita para o filme ‘Bohemian Rhapsody’ – Foto: Divulgação

Para o filme ‘Bohemian Rhapsody’ (2018), que retratou a trajetória da banda, a guitarra original não foi utilizada, mas uma réplica foi criada a partir do modelo original.

No fim da década de 1970, outra cópia oficial da Red Special foi criada pelo luthier John Birch. Ela foi utilizada por Brian May na gravação do videoclipe de ‘We Will Rock You’ e ‘Spread Your Wings’ (mas não na gravação das músicas em si).

Além disso, a intenção era deixar a réplica como reserva nas apresentações ao vivo. Numa dessas ocasiões, May se apresentava em Nova Jersey, nos Estados Unidos, e, acidentalmente, destruiu a réplica.

Veja o videoclipe de ‘We Will Rock You’:

Uma empresa japonesa chamada Greco começou a vender cópias não oficiais e não licenciadas da Red Special.

A fabricante “cara-de-pau” fez questão de mandar uma delas para o próprio May, que só a utilizou em performances visuais – como no videoclipe de ‘Good Old Fashioned Lover Boy’.

Veja o videoclipe de ‘Good Old Fashioned Lover Boy’:

Empresas de outros países seguiram lucrando com as réplicas não autorizadas até que, em 2006, o guitarrista criou a Brian May Guitars para produzir réplicas oficiais da Old Lady a um preço acessível – e com a qualidade oficial do instrumento criado por pai e filho décadas atrás.

“O objetivo é tornar o melhor produto absoluto a um preço acessível, para que todos possam desfrutar do som e da sensação especiais de uma guitarra Brian May”, explicou o músico.

Feita por pai e filho, a Red Special foi um marco no relacionamento de pai e filho. Harold faleceu em 1991 (mesmo ano da morte de Freddie Mercury) após um câncer, aos 66 anos.

Falando do pai, May diz “esperar que ele esteja orgulhoso”. “Desde que ele morreu, eu me tornei uma pessoa que tenta fazer a diferença para o mundo, e não apenas através da música. Acho que ele sorriu, acenou com a cabeça e disse: ‘Sim, filho, você fez a coisa certa'”.

Veja uma entrevista de Brian May falando sobre a Red Special (em inglês):