The Who: 42 anos de Who’s Next

(Foto: Divulgação)

The Who: “Who´s Next” [1971]

Lançado em 14 de agosto de 1971, “Who´s Next” é o quinto disco do The Who, uma das bandas mais legendárias do rock n roll. E, no meu ponto de vista, trata-se do trabalho definitivo e derradeiro da banda. Mesmo com lançamentos do porte de “Sings My Generation” e “Tommy”.

A história inicial deste disco foi originada de uma opera rock, feita pelo guitarrista Pete Townshend chamada “Lifehouse”. Apesar do disco conter certos fragmentos e vestígios da mesma, a proposta se desvirtuou completamente da história. Talvez tenha sido o acontecimento mais ideal, pois “Who´s Next” é mais direto que “Tommy”, por exemplo.

“Who´s Next” se destaca não apenas por sua soberba qualidade musical, mas também por certo experimentalismo e originalidade. Sua produção, aliás, soa excelente para os padrões da época. Em 1971, as tecnologias de mixagem e masterização, pouco avançadas, só permitiam algo mais elaborado por meio de improviso. Mérito para o próprio The Who, que produziu o disco juntamente de Glyn Johns.

Das músicas que demonstraram tal pioneirismo, sobressaem-se as mais famosas do lançamento, “Baba O´Riley” e “Won´t Get Fooled Again”, pelo uso de sintetizadores programados por Townshend essencialmente utilizando padrões pulsantes, criando trechos contínuos para as canções e gerando as melodias inciais que as consagraram.

Veja também:
A cantora de ópera que chocou um júri ao arrancar vestido e cantar AC/DC

Tais detalhes se aliaram ao hard rock um pouco mais direto apresentado pela banda no momento, com a exuberância técnica de seus integrantes (sem dúvidas era a banda mais virtuosa da época), as ótimas letras e as performances pra lá de adequadas.

https://www.youtube.com/watch?v=BfuWXRZe9yA

Se antes dele o The Who já era grande e havia lançado discos históricos como “Tommy” e “Sings My Generation”, com “Who´s Next” a banda atingiu o topo dos topos. O disco, cultuadíssimo pelos fãs e pela crítica, permaneceu em 1° lugar nos charts ingleses e em 4° nas paradas americanas.

Os destaques, além da genial capa onde os membros da banda acabaram de urinar, ficam por conta das anteriormente citadas “Baba O´Riley” e “Won´t Get Fooled Again”; da balada “Behind Blue Eyes”, recentemente popularizada graças à versão do Limp Bizkit; de “My Wife”, única composição do baixista John Entwistle no disco; e da excelente “Bargain”, onde Roger Daltrey demonstra todo seu poder vocal e os músicos demonstra muita energia, principalmente pelo insano baterista Keith Moon.

Roger Daltrey – vocal, gaita

Pete Townshend – guitarra, órgão, sintetizadores, piano em 1, vocal em 5 e 7, backing vocals

John Entwistle – baixo, piano, vocal em 4, backing vocals

Keith Moon – bateria, percussão

Músicos adicionais:

Dave Arbus – violino em 1

Nicky Hopkins – piano em 5 e 7

Veja também:
Primeiro Beatle que veio ao Brasil só queria assistir ao GP de Interlagos

Leslie West – guitarra solo em 3

01. Baba O´Riley

02. Bargain

03. Love Ain´t For Keeping

04. My Wife

05. The Song Is Over

06. Getting In Tune

07. Going Mobile

08. Behind Blue Eyes

09. Won´t Get Fooled Again

Compartilhar

Opiniões, curiosidades, resenhas, listas e sobre todos os tipos de música são o foco desta coluna, comandada por Igor Miranda, jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical. Contato: [email protected]