Top 10: as melhores músicas desconhecidas do AC/DC

(Foto: Divulgação)

Com clássicos conhecidos por qualquer fã de Rock que se preze, algumas boas músicas na carreira do AC/DC acabam passando batidas. Conheça dez canções um pouco mais obscuras cujas audições são recomendadíssimas.

OBS: a lista está organizada por ordem cronológica.

“Love Song” (High Voltage: versão australiana – 1975): provavelmente a única música que é dignamente uma balada da história do AC/DC. Tem a impressão digital da banda, mas obviamente um pouco mais melódica.

“Love At First Feel” (Dirty Deeds Done Dirt Cheap – 1976): um Hardão arrastado com influência Blues e o pleno destaque à voz de Bon Scott. Digno.

“Crabsody In Blue” (Let There Be Rock – 1977): bluesão clássico bastante esquecido na carreira do AC/DC. Grande performance dos irmãos guitarristas Angus e Malcolm Young.

“Kicked In The Teeth” (Powerage – 1978): frenética e exalando a atitude que é de praxe no AC/DC de Bon Scott. Essa música tinha moral para se tornar clássica. Só faltou um refrão de impacto.

“Beating Around The Bush” (Highway To Hell – 1979): uma das mais insanas músicas lançadas pelos australianos. O riff inicial resume tudo o que há para se dizer dessa canção.

“Let Me Put My Love Into You” (Back In Black – 1980): outra que tinha moral para se tornar clássica – e até um bom refrão marca presença. Mas ficou ofuscada em um trabalho repleto de canções que marcaram época. Nada que tire a sua magnitude, diga-se de passagem. Uma das melhores da lista.

Veja também:
Os clipes mais vistos de Britney Spears e a história por trás deles

“Inject The Venom” (For Those About To Rock – 1981): rock n roll pra beber cerveja e amassar a latinha na testa. A atitude intrínseca aos riffs, à seção rítmica e à performance de Brian Johnson é louvável e – desculpem o saudosismo – rara nos dias de hoje.

“Boogie Man” (Ballbreaker – 1995): o elemento blues sempre esteve presente no som AC/DC, mas deixou de estar escancarado após o falecimento de Bon Scott – aparentemente o verdadeiro entusiasta da influência. Mas Ballbreaker marca a volta desse aspecto e essa canção reflete o bom momento.

“Can´t Stand Still” (Stiff Upper Lip – 2000): a introdução já vale por toda a música, mas vale a pena ouvir o resto. Mais uma que só poderia ter sido feita pelo AC/DC – e mais ninguém no mundo. Vale ressaltar que a guitarra solo dessa música é tocada por Malcolm Young.

https://www.youtube.com/watch?v=iuUoHFLSiRQ

“Stormy May Day” (Black Ice – 2008): na levada de um slide guitar, temos uma das mais injustiçadas músicas do mais recente trabalho do AC/DC. Tem cara de single que agradaria qualquer fã de rock n roll.

Compartilhar

Opiniões, curiosidades, resenhas, listas e sobre todos os tipos de música são o foco desta coluna, comandada por Igor Miranda, jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical. Contato: [email protected]