10 vozes femininas que ajudaram a mudar o heavy metal

O heavy metal é um fenômeno de popularidade, mas, desde o início, a maioria das bandas conta com homens em suas formações. Para a nossa sorte, o mundo mudou muito e, de tempos pra cá, o número de mulheres no estilo aumentou de maneira significativa, principalmente quando falamos de vocalistas.

Quando o metal estava dando seus primeiros passos, nomes como Janis Joplin, as garotas do Runaways e as irmãs Ann e Nancy Wilson (Heart), por exemplo, mostraram que as mulheres iriam buscar seu espaço na cena.

Posteriormente, muitas garotas influenciadas (e encorajadas) por essas grandes mulheres começaram a buscar um lugar ao sol, e pouco a pouco, começaram a aparecer.

Apesar de ainda serem alvo de muito preconceito por parte de alguns fãs (e até mesmo alguns músicos), as garotas estão soltando a voz com muita maestria. E se você pensa que as vocalistas do metal estão apenas nas bandas sinfônicas e melódicas do estilo, está redondamente enganado!

Sem mais conversa, confira abaixo dez vozes femininas do metal que você deveria ouvir!

10) Lita Ford

A guitarrista e vocalista britânica foi uma das integrantes fundadoras do famoso grupo The Runaways. Logo após o fim da banda, iniciou sua carreira solo.

A sonoridade de sua banda era um misto de heavy metal e hard rock e a voz de Lita, que conseguia unir agressividade a um apelo pop, casou perfeitamente com a proposta instrumental.

O maior sucesso comercial da carreira de Lita é o álbum “Lita”, lançado em 1988, e que traz “Close My Eyes Forever” – que, até hoje, é o seu maior êxito comercial.

Depois de anos longe dos palcos e do estúdio, Lita retornou ao mundo da música em 2008, e seu último trabalho é “Time Capsule”, lançado em 2016.

9) Doro Pesch

A vocalista alemã foi uma das primeiras vocalistas notáveis da história do heavy metal. Doro foi a voz da banda Warlock e, em 1989, iniciou sua carreira solo com o ótimo álbum “Force Majeure”.

A potente voz de Doro a fez ser conhecida carinhosamente como a “Rainha do Metal”. Além de uma carreira duradoura e consistente, a cantora alemã desempenhou um importante papel: abriu as portas para muitas mulheres ingressarem no mundo da música pesada.

Veja também:
Daniel Zukerman conta como entrou de penetra no velório de Michael Jackson

O último lançamento de sua grandiosa carreira é o disco “Forever Warriors,Forever United”, que traz o heavy metal classudo que sempre pautou a sua trajetória musical.

8) Anneke Van Giersbergen

Anneke Van Giersbergen ficou conhecida por ser vocalista do The Gathering e, na época, a banda queria ampliar o horizonte musical.

A escolha de Anneke se mostrou acertada. A sua versatilidade vocal permitiu que a banda trilhasse novos caminhos, saindo do death metal e indo para um lado mais atmosférico e experimental, mas sem deixar de lado o peso.

Depois de mais de uma década, Anneke investiu em sua carreira solo, com seu ótimo projeto Agua de Annique, que passa um pouco longe do heavy metal. Além disso, participou (e ainda participa) de inúmeros projetos e sempre que possível, é convidada para fazer participações especiais em trabalhos de outros músicos.

Sua voz, que consegue ser agressiva e delicada na mesma proporção, continua sendo uma das mais belas da música.

Em 2016, anunciou sua nova banda de Metal, o VUUR, que passará pelo Brasil no próximo mês de maio.

7) Cristina Scabbia

A banda italiana Lacuna Coil apareceu como uma grata surpresa no final dos anos 1990 e o principal motivo foi a cativante voz de sua vocalista, Cristina Scabbia.

O primeiro lançamento da banda, “In A Reverie” (1999), chama a atenção pelo canto suave e potente de Cristina, que contrasta com a pegada mais agressiva de Andrea Ferro, outro vocalista da banda.

Com o passar dos anos, o Lacuna Coil foi incorporando elementos do metal alternativo em suas músicas, o que tornou o som mais agradável e original.

Além de sua bela voz, Cristina apresenta uma ótima presença de palco, além de ser muito carismática. Duas décadas depois do primeiro disco, Cristina ainda embala multidões ao som de clássicos como “Heaven´s A Lie”, “My Wings”, “I Forget (But I Won´t Forget Your Name)”, além da ótima versão para “Enjoy The Silence”, do Depeche Mode (uma das principais influências do Lacuna Coil).

6) Dani Nolden

É claro que o Brasil não ficaria fora da lista. A talentosa Dani Nolden é vocalista do Shadowside, banda nacional de heavy metal que iniciou sua trajetória no início dos anos 2000.

Veja também:
Guitarra para mulheres: você conhece o modelo especial com 'espaço para os seios'?

A voz de Dani Nolden é muito potente e combina com o som pesado e melódico da banda. Em seu currículo, além de ótimos álbuns de estúdio, acumula turnês pela Europa ao lado de grandes nomes como Helloween, Gamma Ray.

Atualmente, Dani também é vocalista da banda Lakunna, que toca um som mais moderno e com letras cantadas em português.

Com uma carreira sólida, a vocalista sempre é lembrada como uma das melhores vozes do metal nacional.

5) Sabina Classen

Apesar de não ser tão conhecida quanto outras vocalistas, Sabina é um nome gigantesco na cena. A líder da banda Holy Moses foi uma das primeiras mulheres a fazer vocal gutural – o que, no início, assustou os mais tradicionalistas (como sempre).

Com mais de três décadas de carreira e ótimos álbuns lançados, sem parar no tempo, Sabina foi não apenas pioneira, como também abriu portas para as mulheres no metal extremo, inclusive para a próxima da lista…

4) Angela Gossow

O Arch Enemy atingiu altos níveis de popularidade no início da década passada e grande parte desse sucesso tem nome e sobrenome: Angela Gossow.

A vocalista alemã, que estreou com o grupo no álbum “Wages Of Sin”, é dona de uma voz peculiar e muito técnica, que ajudou a remodelar o death metal melódico que a banda fazia.

Durante mais de uma década, Angela foi símbolo de um movimento que não parou de crescer mais. Além de suas técnicas vocais, vale ressaltar sua ótima presença de palco, que tornavam as performances da banda mais insanas.

Em meados de 2014, Angela saiu da banda e a sua substituta é a próxima garota da lista!

3) Alissa White-Gluz

A vocalista canadense iniciou sua carreira na banda The Agonist e sua voz se revezava entre gritos insanos e passagens mais limpas, que chegavam a lembrar a grande Cristina Scabbia. A banda ficou conhecida após o seu segundo disco, “Lullabies Of The Dormant Mind”, lançado em 2009.

Porém, o maior salto da carreira de Alissa aconteceu em 2014, quando foi escolhida para substituir Angela Gossow no Arch Enemy. Missão difícil, mas que a talentosa cantora vem tirando de letra com sua poderosa voz, mantendo viva a chama que sua antecessora e Sabina Classen ajudaram a acender.

Veja também:
Pabllo Vittar desabafa por preconceito: ‘sei como é difícil ser motivo de chacota’

Além de ótima vocalista, Alissa é vegana e defensora dos direitos animais, assim como Angela Gossow.

2) Fernanda Lira

A baixista e vocalista integra desde 2011 uma das maiores bandas brasileiras da atualidade: o Nervosa, que toca um thrash metal rápido, pesado e moderno, mas sem se esquecer de nomes do passado.

Além de excelente baixista, Fernanda tem uma voz extremamente agressiva, que casa perfeitamente com o som brutal executado pela banda.

O ótimo trabalho de Fernanda, Prika Amaral (guitarra/vocais de apoio) e Luana Dametto (bateria) merece ser ouvido e reconhecido, afinal, mulher fazer metal extremo no Brasil é um desafio e tanto.

1) Tarja Turunen

A banda finlandesa Nightwish fez um sucesso gigantesco no Brasil, Muitos adolescentes começaram a ouvir heavy metal por conta da doce voz da icônica Tarja Turunen. Dificilmente presenciaremos uma febre tão grande quanto a vivida no início dos anos 2000, quando, em toda roda de amigos jovens, você certamente encontrava alguém com uma camiseta da banda.

Não foi só a belíssima voz de Tarja que ajudou a banda a se tornar enorme no Brasil e no mundo. A sua presença como uma das maiores vozes da música pesada foi a constatação de um fato que muitos demoraram para entender: o heavy metal pode (e deve) ser da mulher. Goste você ou não, Tarja  foi, é e sempre será uma das mulheres mais importantes que figurou no universo do metal

Após sair do Nightwish em 2005, Tarja seguiu sua carreira solo, que segue firme até os dias de hoje. Apesar disso, ela continua sendo lembrada como a voz da banda por muitos – vale ressaltar que a atual vocalista da banda é a holandesa Floor Jansen.

 

Se você não conhece essas vozes maravilhosas, corra! Caso conheça, vá atrás de outras. Existe uma infinidade de bandas com vocal feminino que tornam o metal muito mais legal!

Até semana que vem, com mais uma lista!

*O texto não reflete, necessariamente, a opinião do Revista Cifras.

Listas, resenhas, curiosidades e notícias do mundo da música, entretenimento e esportes.