Andreas Kisser diz que “algo está errado” se não criticam o Sepultura

Kisser (esq) diz que heavy metal ainda é visto como algo 'violento' (Divulgação)

Kisser (esq) diz que heavy metal ainda é visto como algo ‘violento’ (Divulgação)

Durante entrevista concedida ao Metal Assault, o guitarrista Andreas Kisser falou sobre as críticas que as pessoas fizeram ao Sepultura ao longo da trajetória da banda.

De acordo com o músico, as críticas não são exclusivas da atual fase da banda, que não conta com dois integrantes de sua formação clássica. “Desde o início, antes mesmo de eu me tornar um membro, as pessoas falavam besteira sobre nós. Tente imaginar como era trabalhar nessa proposta de som em 1984, no Brasil”, disse.

Para ele, há um preconceito com o heavy metal. “O estilo ainda é visto como violento, mas trata-se do oposto. Vejo mais violência em carnavais do que em shows”, afirma o músico.

No entanto, Kisser parece ter uma visão positiva – e até bem humorada – sobre tudo isso. “A gente se acostumou e sobrevive com isso, essas críticas nos ajudam. Se ninguém nos criticar, parece que algo está errado”, disse, aos risos.

O novo álbum do Sepultura, “The Mediator Between Head And Hands Must Be The Heart” teve o seu lançamento adiado: chegará às lojas em 25 de outubro. O disco é o primeiro com o jovem baterista Eloy Casagrande, que já integrou o Gloria e a banda solo do cantor Andre Matos.

Veja também:
Aos 6 anos, filho de Cristiano Araújo surge tocando violão e fãs se emocionam

Por Igor Miranda

Opiniões, curiosidades, resenhas, listas e sobre todos os tipos de música são o foco desta coluna, comandada por Igor Miranda, jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical. Contato: [email protected]

Compartilhar