Fotos: reprodução / Instagram

Anitta usou playback no Rock in Rio? Internautas dizem que sim; cantora nega

A cantora Anitta usou playback em seu show no Rock in Rio 2019? Muitos internautas, que acompanharam a apresentação pela TV, apontaram que, sim, a artista estava fazendo uso de recursos pré-gravados – alguns foram além e disseram que ela praticamente não estava cantando ao vivo.

A apresentação de Anitta abriu o Palco Mundo no sábado (5), data do evento que também contou com shows de Pink, Black Eyed Peas, Charlie Puth, H.E.R. e outros nomes. A brasileira fez um show temático em homenagem ao funk carioca, com um tributo específico ao Furacão 2000.

#AnittaNoMultishow

Dona e proprietária do Brasil que chama, né? O palco é uma viagem no tempo e na história do funk! Bateu uma saudade da Furacão 2000! <3 #AnittaNoMultishow #RockInRioNoMultishow

Publicado por Multishow em Sábado, 5 de outubro de 2019

Porém, diversos internautas constataram que a cantora estava usando gravações de vozes em seu show. Houve quem apontasse que ela estava usando o recurso para poder se dedicar mais à dança, mas, para muitos, a artista exagerou no recurso tecnológico.

Veja também:
Black Eyed Peas lança 'Explosion', música e clipe com Anitta; confira

“Meu Deus, esse show da Anitta, não tem ela cantando, playback em tudo”, afirmou um fã, pelo Twitter. “Anitta, me ajuda a te ajudar kkkk bora botar essa voz pra jogo. Os playback tá matando”, disse outro. “Pessoal defendendo a Anitta por usar playback… mas vocês viram a Pink cantando de cabeça pra baixo?”, apontou uma terceira.

Houve, claro, também quem a defendesse. Veja outras reações:

Em entrevista a jornalistas, ainda no evento, publicada pelo G1, Anitta explicou que, sim, usou vozes de apoio pré-gravadas. “Quando é um show que tem muita dança, muita coreografia, normalmente são gravadas vozes de apoio, sim, para as partes em que as coreografias são mais pesadas”, afirmou.

Em seguida, completou: “Não tem como fazer uma hora dançando sem parar – como é o meu set, que só teve 5 minutos sem dança – e cantar o tempo inteiro. Em alguns momentos, temos voz de apoio e, em outros, canto solo. Faz parte do meu show. A galera que entenda”. Curiosamente, a cantora Pink fechou o Palco Mundo não só com coreografias pesadas, como, também, com acrobacias e outros recursos que a faziam, literalmente, “voar” pela plateia.

Veja também:
Anitta no Rock in Rio: de barrada em 2017 ao Palco Mundo em 2019

Artistas brasileiros sofrem mais?

Anitta disse, ainda, que todos os artistas nacionais e internacionais usam vozes pré-gravadas. “A galera só gosta de falar quando é da gente daqui [do Brasil]”, afirmou.

A cantora também disse que houve tratamento diferente para artistas gringos em comparação aos nacionais e afirmou, sem revelar nomes, que atrasos causados por atrações internacionais atrapalharam seu show, já que ela não conseguiu fazer passagem de som previamente.

“A gente entrou no palco sem conhecê-lo. Quando nos deram, o festival já tinha começado. Entramos no palco ainda tentando entender o espaço. Super rola diferença [de tratamento pela organização de festivais]. Mas, apesar de todos os pesares, deu tudo certo no fim. Conseguimos fazer um show muito legal. A gente se divertiu”, afirmou.

Veja também:
Drake proíbe Globo de transmitir show no Rock in Rio 2019 por motivo inusitado

Igor Miranda é jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical. Contato: [email protected]