“As pessoas são maldosas e a internet é cruel” Revela Digão dos Raimundos sobre morte de Champignon

O guitarrista e vocalista da banda Raimundos, Digão, se manifestou a respeito do suposto suicídio do colega Champignon, na madrugada desta segunda-feira (9). Segundo informações do Portal Vírgula , o vocalista acredita que a pressão e as críticas do público podem ter afetado diretamente Champignon, a ponto de tirar a própria vida.

“A vida é complicada e são muitas as possibilidades, mas eu sei que as afirmações dos fãs o deixaram bem magoado. Eu também passei por isso, mas eu sempre retruquei, nunca guardei esse sentimento ruim pra mim” ” disse.

Após a morte de Chorão por overdose, em março deste ano, Champignon e os outros integrantes do Charlie Brown Jr., foram fortemente criticados pela decisão de continuar com o grupo, renomeado como A Banca.

“Os fãs do Charlie Brown estavam o criticando, o chamado de aproveitador, dizendo que ele só pensava em dinheiro, mas as pessoas não sabem da história. Ninguém sabe o que realmente aconteceu entre ele e o Chorão, não sabem o quanto os dois, lado a lado, batalharam pra fazer o Charlie Brown Jr. dar certo. Eu sempre achei tudo isso muito injusto. As pessoas são maldosas, se acham os donos da verdade e a internet é cruel. As redes sociais da banda estavam cheias de coisas horríveis que os fãs escreviam para ele.”

Para Digão, Champignon não conseguiu lidar com a pressão de assumir a banda e enfrentar os fantasmas do próprio passado.

Veja também:
Ricky Martin afirma que 'sair do armário' fez muito bem para sua carreira

“O tempo é que mostra quem é quem, mas, infelizmente, ele não conseguiu segurar a emoção e passar por esse momento. Recomeçar uma banda é muito mais difícil do que sair do zero, você luta o tempo todo contra o seu próprio passado. Quem o julgou tanto deveria se perguntar: ´será que o cara era mesmo esse aproveitador ou será que ele apenas seguiu na batalha?´. Uma banda não é feita por um cara só. Ninguém pode julgar. E agora os dois estão mortos, ninguém pode se defender, é muito complicado”.

O vocalista dos Raimundos também revela que em um recente encontro com o músico, ele aparentava estar tranquilo.

“Encontrei com ele recentemente, na casa de um amigo em comum. Ele estava acompanhado da esposa, estava muito tranquilo. Só o achei um pouco introspectivo, mas é uma coisa normal para quem tinha acabado de perder dois grandes amigos [o Chorão, seu companheiro no Charlie Brown Jr, e o Peu, guitarrista da banda Nove Mil Anjos, que também cometeu suicídio]. É muita pressão, tem que ter a cabeça no lugar.”

Sobre a carreira profissional, Digão revela que Champignon batalhava pelo rock nacional.

“Ele estava lutando pelo espaço do rock no Brasil, que cada vez mais despreza o gênero. A nossa missão era botar o rock pra cima, estávamos combinando de fazer vários shows juntos pelo país. Talvez até uma turnê conjunta. Acabamos de perder um dos maiores baixista que o Brasil já conheceu” concluiu.

Veja também:
Lennon ou McCartney? Estatísticos descobrem quem compôs 'In My Life', dos Beatles

Por Débora Blezer

Fonte: Portal Vírgula

Compartilhar