Aviões do Forró deverá pagar R$ 17 mi por sonegação e encargos, diz jornal

A banda Aviões do Forró é investigada por Receita e Polícia Federal desde 2016, por meio da operação ‘For All’. Recentemente, o inquérito foi reaberto pelo Ministério Público Federal do Ceará, que suspeitava que a banda tenha cometido crimes de lavagem de dinheiro e sonegação fiscal.

Dentro do que o fisco conseguiu mapear, o grupo deverá pagar, segundo informação de uma fonte da Justiça Federal ao jornal ‘O Povo’, o valor de R$ 17 milhões por sonegação fiscal e encargos trabalhistas.

Aferiu-se que a desordem de informações e dados, além da ocultação de patrimônio, têm dificultado a apuração de possíveis irregularidades. Contudo, de acordo com a publicação, é certo que a banda comandada pelo cantor Xand tem um débito pendente de R$ 14.863.551,90 sonegados, mais R$ 3.167.193,12 de débitos processuais trabalhistas.

A operação “For All”, deflagrada pela Polícia Federal em conjunto com a Receita Federal em 2016, investigou fraudes no Imposto de Renda supostamente cometidas pela A3 Entretenimento, empresa que agencia o Aviões do Forró. Na época, estimava-se uma omissão de valores de mais de R$ 500 milhões, de acordo com a Receita Federal.

Segundo a PF, existiam indícios de que integrantes do grupo empresarial ofereciam dados falsos ou omitiam dados em declarações de Imposto de Renda, além de adquirirem bens sem declarar ao Fisco. O intuito, de acordo com os oficiais, era a sonegação de impostos.

Veja também:
Guitarra para mulheres: você conhece o modelo especial com 'espaço para os seios'?

Os integrantes e responsáveis pela banda não quiseram se manifestar. A reportagem completa pode ser lida no site do jornal ‘O Povo’.

Xand Avião e Solange Almeida estão sob investigação por lavagem de dinheiro

Compartilhar