Foto: divulgação

Buchecha fala sobre carreira, rixas e admiração por funk ostentação

Rafael Cortez recebeu o cantor Buchecha em seu canal ‘Love Treta’, da rede multiplataforma Snack. O funkeiro participou do quadro ‘5 perguntas’ e com toda a sinceridade respondeu à todas.

Buchecha, que está completando 25 anos de carreira, brinca que até hoje os fãs o pedem para cantar seus hits antigos. “O disco vira, né? A gente quer cantar outras coisas, mas as pessoas sempre pedem as antigas, ‘Fico Assim sem Você’, ‘Só Love, Só Love’, ‘Conquista’, ‘Quero te Encontrar’ e ‘Nosso Sonho'”, afirmou.

Ele conta a música ‘Conquista’ (da dancinha com mãe no nariz) é uma das mais pedidas. “Não aguento mais, dor na coluna”, disse.

Sobre o funk ostentação, Buchecha diz que gosta. “É uma vertente diferente da minha, mas eu acho que eles contribuíram bem para chamar a atenção, porque o meu funk era alí no seu lugar, muito colocadinho . Esse funk chegou com os dois pés na porta, aí veio o Gumê, o Nego Blue, o MC Pikeno e Menor, Rodolfinho, essa galera toda”, afirmou.

Buchecha ainda se lembrou da primeira vez em que foi entrevistado por Marília Gabriela. “Cara, dava um suador, dava um pouco de medo. Aqueles olhões alí intimidam um pouco”, disse.

O cantor disse que a apresentadora o perguntou se ele já havia usado drogas e ele respondeu que não, a não ser que bebida seja droga. “A primeira vez que eu fui subir no palco pra cantar o rap do Salgueiro, num festival, eu enchi a cara porque eu fiquei muito nervoso. Deu certo, acabou que o rap do Salgueiro foi o que trouxe a gente para o cenário artístico”, afirmou.

Veja também:
Luiza Possi revela que dorme de fralda: 'marido gosta'

Sobre confusões no meio artísticos, o cantor contou que, recentemente, convidou uma colega de profissão para gravar com ele, o que gerou uma rixa desnecessária. “Mandei a música pelo WhatsApp, ela leu e me ignorou. Depois de pouco tempo, a gente esteve junto em uma premiação, ela me viu e falou: ‘ah você aqui, vamos gravar e tal’, eu respondi que sim. Aí ela mandou a música pra mim e eu fiz o egípcio também. Não vou gravar, ou a gente se ama, se respeita e se trata bem, não pode fingir, né? Eu não sou de fazer isso, mas acho que poderiam dizer sim ou não, mas agora, fingir que não viu e ignorar, não”, revelou.

Assista à entrevista na íntegra:

Compartilhar