Claudia Leitte terá que devolver mais de 1 milhão de reais da Lei Rouanet

Advogados de Claudia Leitte vão recorrer da decisão (Reprodução/Facebook)

Advogados de Claudia Leitte vão recorrer da decisão (Reprodução/Facebook)

Claudia Leitte terá que devolver R$ 1,2 milhão de recursos captados por meio da Lei Rouanet, do Ministério da Cultura (MinC). A informação foi divulgada, na última sexta-feira (21), pelo Diário Oficial da União.

Na ocasião, o veículo de comunicação oficial do governo federal divulgou uma lista de projetos financiados pela Lei Rouanet cujas prestações de contas foram barradas. Os responsáveis listados terão que devolver os valores captados.

O nome de Claudia Leitte está na lista divulgada pelo Diário Oficial da União. Ela havia solicitado R$ 6,47 milhões para fazer shows em capitais brasileiras. Até o momento, ela havia captado R$ 1,2 milhão, mas o valor terá que ser devolvido ao Fundo Nacional da Cultura (FNC).

Resposta

Em comunicado enviado à imprensa, o escritório de advogados que representa Claudia Leitte afirmou que vai recorrer da decisão. Segundo os juristas, a empresa da artista, a Produtora Ciel Ltda., tem como comprovar a realização de todos os shows com a verba captada pela Lei Rouanet.

“Estamos averiguando os motivos da reprovação da prestação de contas junto ao Ministério da Cultura e informamos ainda que entraremos com recurso, pois a Ciel está apta a comprovar a realização dos eventos, bem como a distribuição dos ingressos”, afirma um trecho da nota.

Veja também:
Após polêmica, Sandy se manifesta pela primeira vez sobre filho brincar com boneca

Histórico

Esta não foi a única captação solicitada por Claudia Leitte por meio da Lei Rouanet. Foi divulgado, no início deste ano, que o Ministério da Cultura havia autorizado a cantora a captar R$ 356 mil para sua biografia.

O projeto pedia recursos para publicar dois mil exemplares de um livro biográfico, com uma entrevista exclusiva com Claudia Leitte, além de fotos da cantora e letras e partituras de suas músicas. Foram solicitados R$ 540 mil, mas a aprovação foi de R$ 356 mil. A obra seria distribuída gratuitamente, no entanto, 900 exemplares seriam destinados a patrocinadores, imprensa e bibliotecas – ou seja, pouco mais da metade iria para o público.

Na época, a Produtora Ciel Ltda. afirmou que repudiava “notícias maldosas que sugerem que Claudia Leitte se beneficia de incentivos fiscais” e que o projeto “já estava abortado e será arquivado no MinC”. O Ministério da Cultura, por sua vez, confirmou a formalização do pedido de desistência.

Por Igor Miranda

Compartilhar