Ed Motta diz que passou necessidade por um ano graças a polêmica - Revista Cifras

Ed Motta diz que passou necessidade por um ano graças a polêmica

'As pessoas fecharam todas as portas para mim', diz Ed Motta (Reprod./Facebook)

‘As pessoas fecharam todas as portas para mim’, diz Ed Motta (Reprod./Facebook)

Ed Motta revelou que passou por dificuldades financeiras após polêmica com fãs brasileiros. Em 2015, o cantor criticou o seu público brasileiro de shows na Europa e foi duramente hostilizado.

“Eu errei feio na forma como eu reagi com as pessoas na internet, isso eu me arrependo amargamente”, confessou o cantor ao programa ‘Pânico’ da rádio Jovem Pan.

Perguntado se os artistas não devem ser honestos com o seu público, Ed respondeu que no “Brasil não vale a pena” ser honesto, pois ele recebeu muita represália pela atitude que teve. Ele chegou a confessar que ficou um ano sem conseguir pagar o condomínio de seu apartamento.

Veja também:  Axl Rose não é amigo de Alcione, mas tem a discografia dela

“Um ano passando necessidade mesmo, as pessoas fecharam todas as portas para mim. Agora as pessoas estão dando uma esquecidinha, mas eu virei uma espécie de Hitler assim”, desabafou o cantor.

“Eu fiquei numa situação financeira difícil mesmo, para a alegria da imprensa que fez aquilo”, ainda acusou Ed. No entanto, fez um mea culpa e concordou que reagiu mal ao comportamento do público que o estava incomodando.

Ele explicou que escreveu, na internet, que fez um show no interior da Inglaterra e que a audiência só era composta de “pedreiros”. Segundo ele, esse teria sido o estopim para que começasse a ser criticado.

“Aí é que está o mea culpa: isso não aconteceu tantas vezes para eu ficar mal humorado daquele jeito. É que eu sou um perfeccionista”, disse. E ainda justificou que o comportamento do público brasileiro lhe tirava a concentração durante suas apresentações.

Veja também:  Ed Motta diz que não fala em português durante shows na Europa e detona público do Brasil

Com relação à mudança de comportamento do público, afirma que não teve mais esse tipo de problema e considera isso algo positivo. “Mas não foi legal, foi bem ruim para mim”, finalizou.

Veja a entrevista na íntegra (o assunto começa a ser abordado a partir dos 18min30seg):

* Por Estadão Conteúdo

#comentários

Compartilhar