Em 1987: Slash espalha que Paul Stanley, do KISS, é gay

Paul Stanley teve desavença com Slash no início do Guns N' Roses (Getty Images)

Paul Stanley teve desavença com Slash no início do Guns N’ Roses (Getty Images)

O vocalista e guitarrista do KISS, Paul Stanley, divulgou um trecho da biografia “Face The Music: A Life Exposed” em que fala da rápida convivência que teve com o Guns N Roses, em meados de 1987.

Stanley elogia a postura da banda no palco. “Eles fizeram dois ótimos shows em um pequeno pub de Los Angeles. Na segunda apresentação, eles disseram estar infelizes com o cara que estava mixando o primeiro disco deles. Slash me pediu ajuda”, disse.

No entanto, a parceria não deu certo. “As lembranças de Slash são equivocadas pelo estado que ele se encontrava. Ele finge que eu ousei a mexer no som da banda. O que fiz foi ensinar a afinar a guitarra no estilo de Keith Richards e oferecer contato de pessoas que poderiam lhe arrumar guitarras de graça”, afirma Stanley.

O problema partiu para o lado pessoal, segundo Paul Stanley. “Soube que Slash falava mal de mim pelas costas. Me chamava de gay, fazia piada das minhas roupas. Aconteceu antes de ele assumir a persona com a cartola, óculos escuros e cigarro, que o deu dinheiro. Meses depois, ele me ligou para falar das guitarras grátis, e eu disse: Você quer minha ajuda depois de ter falado tanta asneira sobre mim? Não lave roupa suja em público. Vá se f*der”.

Veja também:
Wesley Safadão vira o cantor homem brasileiro mais seguido no Instagram

Por Igor Miranda

Igor Miranda é jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical. Contato: [email protected]