Foto: divulgação

Em entrevista reveladora, Paul McCartney fala sobre John Lennon e alcoolismo

McCartney pensou em abandonar carreira musical após fim dos Beatles (Divulgação)

McCartney pensou em abandonar carreira musical após fim dos Beatles (Divulgação)

Quem vê Paul McCartney nos dias de hoje, associa o ex-Beatle ao sucesso praticamente ininterrupto. Na ativa há mais de 50 anos, o músico conseguiu se manter relevante mesmo após o fim dos Beatles e trilhou uma carreira de sucesso, tanto com o Wings quanto solo.

No entanto, engana-se quem pensa que Paul McCartney sempre esteve na crista da onda. Em uma entrevista reveladora à BBC Radio, o músico disse que estava afundado no álcool e quase abandonou a música quando os Beatles se separaram, em 1970. “Eu estava me afastando dos meus amigos, sem saber se continuaria na música”, conta.

De acordo com Paul McCartney, a situação só começou a melhorar antes do Wings ter sido formado, no ano seguinte. “Comecei a beber […] Foi ótimo no início, então de repente eu não estava mais aproveitando. Não estava funcionando. Eu queria retornar e começar do zero, então acabei formando o Wings”, afirma.

Apesar de ser liderado por Paul McCartney, já muito respeitado à época, o Wings foi muito criticado em seu início. “Para ser justo, não éramos muito bons. Nós éramos terríveis. Nós sabíamos que Linda não conseguia tocar teclado, mas ela aprendeu e, olhando para trás, fico muito feliz por que nós fizemos”, diz.

Veja também:
Nos anos 80, Michael Jackson pediu para interpretar James Bond no cinema

Paul McCartney acredita que a atitude de continuar com o Wings, formado majoritariamente por músicos pouco conhecidos, foi corajosa. “Poderia ter formado um supergrupo com Eric Clapton, Jimmy Page, John Bonham… mas progredimos. Foi muito divertido”, afirma.

Relação com John Lennon

Durante a entrevista, Paul McCartney também falou sobre a relação com seu principal parceiro de composições nos Beatles, John Lennon, assassinado em 1980. Para McCartney, foi importante ter feito as pazes com Lennon antes de ele ter sido assassinado, em 1980. “Fiquei muito grato por nós termos voltado a ficar bem antes da morte dele. Porque teria sido difícil de lidar com isso… bem, foi difícil de todos os jeitos”, diz Paul McCartney.

O músico conta, ainda, sobre como concebeu a música “Here Today”, escrita sobre John Lennon e lançada em 1982. “Pensei em tudo que nunca disse a ele. Sou muito reservado e não gosto de revelar muito. Por que as pessoas deveriam conhecer meus pensamentos mais íntimos? Mas uma canção é o lugar para apresentá-los. Em Here Today, digo a John que o amo”, afirma.

Por Igor Miranda