Em processo contra Taylor Swift, dono de grife pede fotos de seios e bumbum da cantora

Pedido foi considerado abusivo pelos advogados de Taylor Swift (Reprodução)

Pedido foi considerado abusivo pelos advogados de Taylor Swift (Reprodução)

A polêmica entre Taylor Swift e a grife Lucky 13 continua. A disputa entre a cantora e a marca de roupas tramita na Justiça dos Estados Unidos há alguns meses e ganhou um novo capítulo.

A grife de roupas processa Taylor Swift por supostamente ter utilizado o nome “Lucky 13”, sem autorização, para venda de alguns produtos de turnê. Sabe-se que 13 é o número da sorte de Taylor e esteve presente em diversos momentos de sua carreira.

Até aí, trata-se de uma ação judicial convencional. O problema é que, entre as solicitações dos advogados de Robert Kloetzly, dono da marca, pede-se que sejam descobertos vídeos ou fotos promocionais que mostrem os seios ou o bumbum da cantora, mesmo que parcialmente. A argumentação é que Taylor Swift utiliza o seu sex appeal para atingir o mesmo público da Lucky 13.

A equipe de advogados de Taylor Swift alega que o pedido é abusivo e pediu para que o juiz intervenha para proteger a cantora de qualquer tipo de preconceito, além de afirmar que a divulgação do conteúdo seria irrelevante para a conclusão do caso. Já a equipe de Robert Kloetzly diz que as acusações de assédio constituem uma “típica retórica jurídica”.

Por Igor Miranda

Compartilhar