Foto: Reprodução/YouTube

Ex-funcionária pede R$ 1 milhão de indenização a Aline Barros: ‘me demitiu por ser gay’

A cantora gospel Aline Barros sempre se mete em polêmicas graças a suas declarações que são consideradas preconceituosas, principalmente quando direcionadas aos homossexuais. A artista se posiciona publicamente contra a homossexualidade e já se manifestou abertamente sobre o assunto em várias entrevistas.

Agora, ela está enfrentando um processo na Justiça relacionado a essa temática. Ela foi processada por uma antiga backing vocal, que chegou a trabalhar com ela por cerca de 10 anos.

Rejane Silva de Magalhães alega que foi demitida quando Aline descobriu que ela era gay e pede o valor de R$ 1 milhão em indenizações.

As informações são do colunista especializado em celebridades Leo Dias, que conta que o processo também cobra as devidas comissões de shows e trabalhos que ela realizou para a cantora sem nunca receber os devidos direitos trabalhistas.

A Justiça determinou que Aline terá que pagar 200 mil reais para Rejane e, de acordo com Leo Dias, Aline estaria desesperada e tentando encontrar alternativas para realizar um acordo com a ex-funcionária.

Supostamente, a cantora teria tentado fazer uma espécie de permuta, onde ofereceu ações do marido Gilmar contra o Botafogo (time que ele jogou no passado e processa atualmente) como forma de pagamento.

Daniela Araújo retoma carreira gospel após vazar áudio em que pede drogas

Sou jornalista, mas nas horas vagas gosto de fingir que sou influenciador digital. Me segue no insta! @meunomenaoedolfo

Compartilhar