Foto: Divulgação

Ludmilla celebra fama fora do Brasil e comenta casos de racismo

A cantora Ludmilla revelou, em recente entrevista ao ‘Programa Amaury Jr.’, alguns truques da carreira e como disparou no ramo da música brasileira. A cantora comentou sobre o sucesso das músicas, mas também conversou sobre os preconceitos que sofreu – o último caso envolveu a socialite Val Marchiori.

“Aconteceram várias coisas sobre isso, só que no começo eu não sabia qual o procedimento correto”, explicou a cantora. Amaury questionou a ocorrência desses casos e Ludmilla confirmou que já aconteceu mais de uma vez e com diferentes pessoas do ramo artístico.

Hoje, Ludmilla afirma que toma as devidas medidas e orienta que procurem a delegacia mais próxima e façam o boletim de ocorrência em casos de discriminação racial e qualquer outro tipo de preconceito.

Além disso, Ludmilla falou sobre o reconhecimento fora do Brasil através de turnês nos Estados Unidos, Europa e Angola, e contou a experiência que passou em Portugal, onde recebeu o maior público de fãs fora do país com 50 mil pessoas.

No ‘Programa Amaury Jr.’, Ludmilla também confessou que sempre cantou pagode e comentou sobre futuro projeto com o estilo musical. “A minha música é música. A minha veia é o funk, mas eu canto música de todos os tipos e todos os gêneros. Eu gosto de música”, afirmou a artista, que ainda revelou sua intenção em trabalhar outros projetos como ter a própria marca de roupa.

Veja também:
Os clipes mais vistos de Britney Spears e a história por trás deles

A pedido do público, Ludmilla ensinou Amaury Jr. a fazer o “reboladinho”, outro passo relacionado ao funk e muito conhecido pelos fãs.

Assista:

Em entrevista, Ludmilla fala sobre rivalidade com Iza e sobre novos trabalhos

Compartilhar