Ludmilla reescreve música que falava sobre maconha, substituindo a droga por ‘namorado’

Recorrentemente, Ludmilla precisa reescrever canções para vendê-las (Divulgação)

Recorrentemente, Ludmilla precisa reescrever canções para vendê-las (Divulgação)

A cantora Ludmilla gravou, no último fim de semana, seu novo videoclipe para uma música de título ‘Não Encosta No Meu Namorado’.

A direção do clipe ficou por conta do produtor de grandes sucessos do mundo do funk, Kondzilla.

Em entrevistas, Ludmilla contou que a faixa é um funk ‘raizão’. “A música já existe. Não ia ser de trabalho, mas bombou tanto que as pessoas insistiram para eu fazer um clipe, então vou fazer”.

A música, na verdade, foi lançada originalmente como ‘Não Encosta No Meu Baseado’. Agora, com a decisão de lançar o videoclipe, para que se torne single e comercialmente viável para rádio e TV, a funkeira trocou a palavra ‘baseado’ por ‘namorado’.

Ouça a música em sua forma original:

RECORRENTE

Essa não foi a primeira vez que Ludmilla precisou alterar uma música para que se adequasse a todas as idades. Para se apresentar em alguns programas de TV, a cantora fez pequenas mudanças na letra de seu hit ‘Bom’.

Confira:

Ao invés de cantar “uma taça de Chandon”, como consta na letra original, ela cantava “uma caixa de bombom”. À época, isso se tornou um meme e acabou viralizando na internet.

Uma outra situação, que acabou não recebendo muita atenção da mídia, envolvia a letra da música ‘Cheguei’. Indo na contramão do que geralmente acontece no mundo do funk, Ludmilla lançou a música em sua versão ‘light’.

Veja também:
Após álbum surpresa, Nicki Minaj é uma rainha do deserto vingativa e sensual em novo clipe

Um tempo depois e na calada da noite, a cantora lançou a versão explícita da música – possivelmente da forma como ela havia sido escrita originalmente. A principal mudança veio no refrão da faixa que trocou as palavras “zorra” por “porra” e “exploda” por “foda”.

Além disso, a faixa também passou por uma remixada e o resultado veio numa pegada mais próxima do funk e mais distante do pop.

Ouça a versão explícita do hit:

*Por José Elias Mendes

#comentários

Compartilhar