Médico de Michael Jackson será julgado

Doutor Conrad Murray

Doutor Conrad Murray

Conrad Murray, médico de Michael Jackson, será julgado por homicídio culposo após injetar dose letal de tranquilizante no cantor. Após seis dias de audiência preliminar onde diversas testemunhas foram ouvidas, o juiz determinou que existem evidências suficientes para levar Murray a julgamento.

A promotoria acusa Murray de ter administrado uma dose excessiva do anestésico propofol em Michael Jackson. Foi provado que Murray estaria falando ao telefone antes e depois da injeção que levou Michael Jackson à morte. A promotoria também acusa o médico particular de ter tentado acobertar sua “negligência”.

O propofol é um poderoso anestésico, utilizado principalmente em hospitais durante cirurgias. Michael Jackson usava a substância para conseguir dormir, com a ajuda de Murray. O médico teria adquirido 15 litros do medicamento nos três meses anteriores à morte do astro.

Se condenado, Murray poderá passar até quatro anos atrás das grades.