Música popular ficou mais triste nos últimos 30 anos, diz estudo

Canções estão cada vez mais tristes, mas alegres é que fazem sucesso (Pixabay)

Canções estão cada vez mais tristes, mas alegres é que fazem sucesso (Pixabay)

A música está ficando mais depressiva? De acordo com um novo estudo divulgado pela Royal Society Open Science, sim. A pesquisa indica que, nos últimos 30 anos, as músicas pop ficaram mais tristes – entretanto com ritmos cada vez mais dançantes.

A pesquisa analisou rankings de sucesso e tendências musiciais de mais de 500 mil músicas que ficaram nos topos dos rankings do Reino Unido entre 1985 a 2015, e descobriu que houve “uma clara tendência de diminuição” em canções felizes e alegres, e um aumento nas músicas tristes. A masculinidade das músicas também diminuiu.

Porém, quando se trata dos verdadeiros hits, que ficaram no top 10 das paradas ou fizeram sucesso por muito tempo, os pesquisadores notaram que são as músicas mais animadas e festivas que dominam.

“O público parece preferir músicas mais felizes, mesmo que mais e mais músicas infelizes estejam sendo lançadas a cada ano”, diz o estudo. Além disso, as músicas de maior sucesso são mais cantadas por mulheres.

As fontes utilizadas pelos pesquisadores foram o Top 100 Singles Chart by the Official Charts Company do Reino Unido e os sites MusicBrainz e AcousticBrainz, e usaram como critérios variáveis-base de tipos de ritmos, como tom, acústica, dançabilidade, gênero e também os “humores” e “sensações” que as músicas trazem, como paixão, confiança, diversão, raiva, ansiedade, tensão, entre outros.

Veja também:
Designer faz escudos criativos imaginando se bandas fossem times de futebol

* Por Estadão Conteúdo

#comentários

Compartilhar