Foto: Reprodução/YouTube

Após deixar Twitter, Padre Fábio de Melo também anuncia aposentadoria dos palcos

O Padre Fábio de Melo, que abandonou o Twitter após se envolver em uma polêmica na semana passada, pegou os fãs de surpresa ao fazer uma importante revelação sobre sua carreira nesta terça-feira (13). Via assessoria de imprensa, o religioso anunciou que está se aposentando dos palcos e não fará mais shows.

Para não se envolver em nenhuma quebra contratual, Fábio de Melo ainda manterá a agenda de shows que já estão marcados atualmente. A última apresentação do sacerdote deverá ser no dia 14 de dezembro, na cidade de Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais.

De acordo com a nota enviada à imprensa pela equipe do padre, o motivo da aposentadoria seria o desgaste das viagens. “Ele está muito cansado de estradas, as viagens são muitos desgastantes. O padre está cuidando mais de sua saúde”, informou.

O abandono dos palcos, no entanto, não significa que o sacerdote sairá da vida pública. Ele deverá dar continuidade à carreira musical, iniciada em 1997 com seu primeiro álbum lançado. Outras atividades como escritor, professor e apresentador também deverão ser mantidas, além do sacerdócio.

Polêmica do padre Fábio de Melo no Twitter

Após se envolver em uma polêmica na última quinta-feira (8), o Padre Fábio de Melo decidiu abandonar sua conta no Twitter. Ele havia sido amplamente criticado após opinar sobre a “saidinha” de Dia dos Pais de Alexandre Nardoni.

Considerado um ícone pelos usuários da rede social, o religioso coleciona mais de 7 milhões de seguidores que gostam de acompanhar seu bom humor diário, além de suas mensagens motivadoras.

Para explicar a decisão de abandonar a plataforma, ele afirma que é uma tentativa de preservar sua saúde mental. Para o padre, o Twitter “deixou de ser saudável”.

“Meus queridos, vou ficando por aqui. Tenho uma saúde emocional a ser cuidada. Sei o quanto já provei a solidão provocada pela depressão, pelo pânico. Tomar remédios só faz sentido quando evitamos os gatilhos dos desconfortos. Este lugar deixou de ser saudável pra mim. Obrigado!”, escreveu ele.

Veja também:
Bruno e Marrone lançam o álbum 'Studio Bar Vol. 2', com 12 músicas

Ele completou deixando claro que não se incomoda com as pessoas que pensam diferente dele. Por fim, ele tentou se defender pela polêmica em que se envolveu.

“Nunca tive dificuldade com as diferenças. Aliás, o meu ministério sempre foi exercido entre elas. Mas a dialética, um dos movimentos que nos permitem o acesso à verdade, vem gradativamente sendo substituída por acusações e julgamentos”, disse.

“O Twitter sempre foi um lugar de encontro. A Ágora dos nossos tempos. O ponto de reunião improváveis. Falei e fiquei amigo de quem não passaria na porta da minha igreja. Foi bom”, completou.

Desde ontem, quando expressei minha indignação sobre a ‘saidinha’, estou sendo acusado de justiceiro, desonesto, desinformado, canalha e outros nomes impublicáveis. Só reitero. Já atuei na pastoral carcerária. Sei sobre a necessidade da ressocialização dos presos”, argumentou.

“Eu apenas salientei sobre a justiça não ser capaz de preservar, para os que sofrem suas perdas, o simbolismo das datas, libertando os responsáveis pelas mortes de seus entes queridos. Só isso”, completou.

Agradeço muito o carinho que sempre recebi aqui. Eu me divertia muito com vocês. Obrigado pelos amigos que fiz. Rezem por mim”, finalizou o sacerdote.

Entenda o caso

A saída temporária de presos condenados por crimes notórios sempre é alvo de debates entre internautas e personalidades no Brasil. E dessa vez quem decidiu se posicionar foi o padre Fábio de Melo, que criticou a liberação de Alexandre Nardoni para o Dia dos Pais. O homem foi condenado pela morte da filha, Isabella Nardoni – jogada do 6º andar.

Veja também:
MTV Unplugged confirma volta e 1° show será de Liam Gallagher

No Twitter, o padre gerou discussão e dividiu opiniões ao sugerir uma solução alternativa para a saidinha. “Não entendo de leis, mas a ‘saidinha’ deveria ser permitida somente no Dia de Finados. Para que visitassem os túmulos dos que eles mataram”, escreveu o padre Fábio de Melo.

A opinião atraiu críticas e elogios – cada lado com seus argumentos. “Olá, Fábio. Se existisse um Oscar para as postagens no Twitter, esse teu seria um grande concorrente. Parabéns pela sensatez”, postou um internauta. “Exatamente. Esses f*** da lacrosfera adoram passar pano pra bandido! Bandido tem é cumprir cadeia sem beneficio ou progressão alguma! E ainda tem que pagar por sua estadia e ressarcir à vitima! ou a família dela! O Pacote Anti-CRIME do ministro Moro trata disso”, pontuou outro.

Alguns fizeram questão de lembrar que, embora gere revolta em parte da população, a saída temporária não tem relação com feriados e datas comemorativas, mas com método de ressocialização. “A saída não tem nada a ver com os feriados, só são organizadas nessas datas pra ficar mais fácil. É direito deles, que precisam ser ressocializados, até porque, precisam sair em algum momento”, explicou uma usuária da rede social. “Eles não saem porque é dia dos pais, saem porque têm direito mesmo (não importa o dia)”, acrescentou.

Outros alertaram o padre Fábio de Melo sobre a desinformação de comentar um assunto jurídico sobre o qual não se tem conhecimento aprofundado. “Se não entende de leis, não dê esse tipo de opinião irresponsável. Tenha a decência e a humildade de se calar diante do que você não sabe ou de pelo menos procurar saber”, pediu um. “Eu esperava de um padre um comentário mais cristão”, disse outro.

Veja também:
Daniel Zukerman conta como entrou de penetra no velório de Michael Jackson

Respondendo a parte das críticas, o padre defendeu que o valor simbólico de algumas datas deveria ser levado em conta: “Se por motivos de ressocialização do preso a justiça prevê ‘saidinhas’, o simbólico das datas deveria ser respeitado. Um condenado por filicídio deixar a prisão no do Dia dos Pais, definitivamente, é escárnio, um desrespeito com a mãe que ainda chora a morte da filha”.

Veja as reações de quem concordou:

Veja as reações de quem rebateu:

Compartilhar