Foto: Divulgação

Paula Toller processa PT e Haddad e quer R$ 200 mil de indenização

A cantora Paula Toller, ex-vocalista do Kid Abelha, não ficou nada satisfeita quando soube que ativistas de Fernando Haddad, então candidato à presidência pelo Partido dos Trabalhadores (PT), estavam usando sua música em campanha, em outubro do ano passado. De acordo com ela, o uso da canção ‘Pintura Íntima’ não foi autorizado.

A propaganda contava com a imagem de Jorge Israel, membro da banda, tocando saxofone e com a voz da cantora entoando o famoso verso “fazer amor de madrugada, amor com jeito de virada”.

Apesar de ter solicitado, na época das eleições, que o PT retirasse a campanha do ar, Paula alega que não teve seu pedido atendido. Por esses motivos, ela procurou a Justiça e está processando o partido por uso indevido de imagem e obra.

A cantora pede R$ 200 mil de indenização ao órgão e já deixou claro que não tem nenhum interesse em audiências de mediação ou conciliação.

Pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no ano passado, Paula Toller já tinha conseguido com que o partido retirasse todos os vídeos contendo o trecho citado das redes sociais.

“A despeito de a propaganda fazer menção a candidato ao cargo de Presidente da República a ilegalidade da utilização de imagem alheia sem sua prévia permissão caracteriza a ilicitude da conduta permitindo a atuação da equipe de fiscalização de propaganda eleitoral”, escreveu o juiz Mauro Nicolau Junior na decisão, na época.

Veja também:
Mãe de Sandy e Junior não concordava com carreira dos filhos no início

“Se por um lado é fato que a utilização indevida de imagem de pessoa pública gera direito a indenização, por outro não é menos verdade que o exercício do poder de polícia do juiz eleitoral pode e deve ser instrumento eficaz a fazer cessar a propaganda irregular e ilegal”, completa.

Ouça: Ex-Kid Abelha, Paula Toller regrava ‘Céu Azul’, do Charlie Brown Jr

Compartilhar