Foto: reprodução / YouTube

Pharrell Williams sente vergonha de ‘Blurred Lines’ por apologia ao estupro

Depois de muito defender a música ‘Blurred Lines’, envolvida em uma grande polêmica, o cantor Pharrell Williams voltou atrás e disse que passou a entender as críticas que a canção recebeu no passado.

A faixa, produzida em 2013 em parceria com Robin Thicke e T.I., apesar de ter sido um de seus maiores sucessos, foi acusada de promover a cultura do estupro.

A canção chegou a ser banida por uma lista de universidades, devido ao teor de sua letra. O videoclipe oficial da música também não fica atrás e foi acusado de ser sexualmente explícito.

Mesmo com a polêmica, em entrevistas anteriores sobre o assunto, Pharrell Williams era categórico ao defender sua obra. Agora, em um papo recente com a revista GQ, o artista disse ter compreendido como a letra pode ser lida como apologia ao estupro e, por esse motivo, sente-se envergonhado.

Veja também:
50 Cent polemiza ao dizer que Chris Brown é melhor que Michael Jackson

“Percebi que existem homens que usam essa mesma linguagem quando se aproveitam de uma mulher, e não importa que esse não seja meu comportamento. Só importa como isso afeta as mulheres”, declarou o músico.

Para ele, o fato de ter “nascido em uma época diferente” foi o que colaborou para a demora na compreensão da temática. “Algumas das minhas músicas antigas, eu nunca escreveria ou cantaria hoje. Fico envergonhado com algumas dessas coisas. Levou muito tempo e crescimento para chegar a esse lugar”, acrescentou ele.

“Percebi que vivemos em uma cultura chauvinista em nosso país”, finalizou Pharrell, que acredita na evolução do pensamento e se arrepende por suas declarações anteriores.

Veja também:
Aaron Carter volta a atacar Nick e diz que o irmão estuprou idosa de 91 anos