Por que Mick Jagger tem fama de ‘pé-frio’ no futebol

Mick é conhecido por trazer má sorte a times que apoia na Copa (Divulgação)

Mick é conhecido por trazer má sorte a times que apoia na Copa (Divulgação)

Um dos maiores nomes do rock mundial, Mick Jagger ganhou uma forte fama de ‘pé-frio’ no Brasil. Mas você se lembra de como ela começou?

A origem para o azar do vocalista dos Rolling Stones remete à Copa do Mundo de 2010, disputada na África do Sul. Na ocasião, a presença do músico foi notada em diversas partidas – sempre na torcida pelo lado perdedor.

África do Sul-2010

Tudo começou quando Mick resolveu assistir a alguns jogos das oitavas de final da Copa do Mundo.

Primeiro, apoiou os Estados Unidos, que perderam por 2 x 1 para a seleção de Gana. Na sequência, apoiou sua própria seleção, a Inglaterra, que foi impiedosamente goleada por 4 x 1 diante da Alemanha. Sinal de que sua presença no estádio parecia não ser um dos melhores sinais.

Curiosamente, o cantor relata ter ido ainda a outro jogo nesta fase, que é pouco lembrado: Brasil 4 x 1 Chile.

Antes de as quartas começarem, Mick decidiu que assistiria à partida entre Holanda e Brasil, novamente do lado verde-amarelo. Em entrevista ao site da Fifa, foi questionado sobre qual seleção mais o havia impressionado até o momento, e sua declaração acabou contribuindo para diminuir a temperatura de seus pés.

“Argentina. Penso que eles tem uma fantástica habilidade para marcar gols, que é o que a Inglaterra não parecia muito capaz de fazer neste torneio. Com Tevez, pude ver o quanto eles são bons contra o México, então acho que são impressionantes”, contou. Dias depois, era a vez de os comandados de Maradona serem goleados por 4 x 0 pela Alemanha.

Veja também:
Christina Aguilera demonstra cansaço vocal e fãs veem indireta para Britney Spears

No dia anterior à eliminação argentina, lá estava Mick ao lado de seu filho, Lucas, na partida contra a Holanda. O Brasil até saiu à frente, mas com Felipe Melo expulso, veio a virada holandesa e mais uma eliminação para a conta do astro.

Em uma brincadeira, a Globo fez uma vinheta com o locutor Cid Moreira que brincava com a situação ao longo de sua programação: “Ah, não! Mick Jagger…”

Brasil-2014

A dúvida para saber se o poder de ‘zica’ de Jagger ainda estava afiado foi respondida ainda na primeira fase.

“Portugal vai ganhar a Copa do Mundo. Final é Portugal e Inglaterra”, garantiu durante um show no Rock In Rio Lisboa, realizado semanas antes da Copa.

Com o craque Cristiano Ronaldo se recuperando de uma tendinite rotuliana no joelho e uma goleada sofrida na estreia, os portugueses se despediram da competição ainda na primeira fase.

Os ingleses também passaram longe da final, despedindo-se do torneio sem conquistar sequer uma vitória.

Restava ainda a Mick torcer pelo Brasil. Ao lado de seu filho Lucas, lá estava ele no Mineirão em meio à torcida brasileira para assistir ao jogo que valia vaga na decisão, disputado contra a Alemanha. O resultado, todos já conhecem: 7 x 1.

Histórico

Além das Copas de 2010 e 2014, Jagger afirma ter estado presente em mais duas.

Veja também:
Primeiro Beatle que veio ao Brasil só queria assistir ao GP de Interlagos

Em 1998, esteve no estádio para assistir ao empate de sua equipe contra a Argentina, nas oitavas de final. Nos pênaltis, os ingleses caíram fora.

Em 2006, apoiou novamente a Inglaterra, desta vez nas quartas de final, contra Portugal. A disputa foi para os pênaltis, e os ingleses, sob os olhares incrédulos de Jagger, acabaram dando adeus à copa.

Em 2016, o Esporte Espetacular resgatou um episódio curioso da passagem do cantor pelo Brasil em 1984. Na ocasião, Jagger compareceu ao Maracanã para acompanhar a final do campeonato estadual entre Flamengo e Fluminense – na torcida do Flu.

Enquanto Mick esteve no estádio, a partida continuava em 0 x 0. Foi só ele deixar o local que, no minuto seguinte, Assis marcou o gol que deu o título ao tricolor das Laranjeiras.

Filho

Em entrevista ao programa Luciana By Night, o filho do cantor, Lucas Jagger, rebateu a fama de ‘pé-frio’ do pai, recorrendo à sua presença em um jogo da Eurocopa disputada em 2016, na França

“Meu pai tava torcendo pra Portugal. No começo do jogo, ele fez um vídeo, postou e todo mundo caiu matando. Portugal tava perdendo o jogo inteiro e ganharam nos pênaltis, eu acho, marcaram um gol de último momento”, garantiu.

* Por Estadão Conteúdo