Foto: Divulgação

Rael dá contornos pop à ‘Flor de Aruanda’, 1ª música de seu próximo trabalho

Luanda foi uma das cidades africanas que mais enviou escravos para o Brasil, tornando-se a última lembrança de liberdade para eles. Com o tempo e com a influência da língua dos brancos, a capital angolana acabou ganhando a pronúncia de Aruanda e a conotação de paraíso para as religiões de raiz afro – a morada dos orixás e onde se encontra o necessário para a evolução do espírito.

Esse contexto histórico e essa versão sobre o surgimento de Aruanda foram os pontos de partida para Rael compor ‘Flor de Aruanda’, primeira música a ser revelada do seu próximo trabalho, previsto para o primeiro semestre de 2019.

Assista ao videoclipe:

Com produção do próprio cantor e compositor e distribuição da gravadora ‘LAB Fantasma’ em parceria com a ‘Sony Music’, a nova canção marca uma mudança no seu processo criativo, em que ele concebe a obra do começo ao fim, pensando na parte instrumental e na estrutura, para depois compor a letra em cima do que foi criado.

O DNA da faixa, contudo, mantém a identidade de Rael, que dá contornos pop ao mix de rap com reggae. No caso de ‘Flor de Aruanda’, o artista convidou Rafael Tudesco e Bruno Marcucci para somarem na música.

Na letra, Rael fala de amor e passeia por referências que vão da escritora nigeriana Chimamanda e da cantora cabo-verdiana Mayra Andrade a Wakanda (país fictício do filme ‘Pantera Negra’). Há ainda uma homenagem ao grupo de rap paulista Athaliba e a Firma com a citação de versos da faixa ‘Feminina’.

Veja também:
Daniel Zukerman conta como entrou de penetra no velório de Michael Jackson

Já para a gravação do videoclipe de ‘Flor de Aruanda’, o deslocamento foi geográfico. O cantor e compositor aproveitou um show em Luanda para fazer o registro. “A ideia foi mostrar a África antes dos colonos chegarem”, conta Rael. “Por isso, a presença das referências tribais, das roupas, dos rostos pintados e da dança”, completa.

O diretor Henrique Alqualo, que já fez trabalhos com Caetano Veloso, Gilberto Gil e Emicida, foi o único integrante brasileiro na equipe de gravação. Os grupos de dança locais ‘Os Nandako’ e ‘Next Step’ participaram não apenas do clipe, mas também foram responsáveis por criar as coreografias em cima da música de Rael, que, por meio de locações como o Miradouro da Lua e o Bairro Operário, apresenta como é pura e tem doçura a linda flor de Aruanda.

Compartilhar