Rapper paulista quer difundir cultura gay e orgulho negro no hip hop

Rico Dalasam quer integrar movimento hip hop ao LGBT (Divulgação)

Rico Dalasam quer integrar movimento hip hop ao LGBT (Divulgação)

O mundo do hip hop não costuma discutir com muita abertura a questão homossexual. Há quem diga que se trata de um segmento machista, pois os nomes femininos que se destacam no gênero costumam receber críticas ferrenhas.

O rapper paulista Rico Dalasam, de Taboão da Serra (SP), quer quebrar esse paradigma. Durante entrevista concedida ao site UOL, Dalasam, que é homossexual, falou um pouco sobre seu trabalho, que pode ser enquadrado no movimento “queer rap” (que pode ser traduzido para “rap gay”), com adeptos nos Estados Unidos e ainda desconhecido no Brasil.

“Tem muita gay que vai a shows de rap. Ela gosta, tem o CD, ela se sente parte daquilo, apesar da rejeição. Ela consome aquele entretenimento e vai embora”, disse. As músicas de Rico Dalasam lidam diretamente com temáticas ligadas ao público homossexual: em “Aceite-C”, ele canta “Boy, eu quero ser seu man”; já “Não Posso Esperar” tem uma letra confessional, que aborda a própria sexualidade.

Rico Dalasam acrdita que o hip hop tem que chegar a outros espaços, sempre com o princípio da igualdade. “O próximo estágio é estar todo o mundo ali no mesmo espaço, casais, todo o mundo convivendo por uma visão maior. O hip-hop é bem mais”, afirmou. Confira abaixo um pouco sobre o trabalho do rapper:

Veja também:
'Love': Michael Bublé lança novo álbum após pausa de dois anos na carreira

https://www.youtube.com/watch?v=dRDRGizXymw

Por Igor Miranda

Compartilhar

Opiniões, curiosidades, resenhas, listas e sobre todos os tipos de música são o foco desta coluna, comandada por Igor Miranda, jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical. Contato: [email protected]