Foto: Nino Muñoz

Ricky Martin afirma que ‘sair do armário’ fez muito bem para sua carreira

O astro porto-riquenho Ricky Martin deu uma entrevista recente ao jornal ‘Hollywood Reporter’ e conversou sobre os momentos mais emblemáticos e importantes de sua carreira. Além de falar sobre o sucesso meteórico de ‘Livin’ La Vida Loca’, ele relembrou sobre quando, em 2010, assumiu publicamente que era homossexual.

Ele relembrou que, curiosamente, ‘Livin’ La Vida Loca’ quase ficou de fora de seu primeiro álbum em inglês. Quem acabou tendo um importante papel nessa história foi a rainha do pop, Madonna. A cantora compareceu ao estúdio para gravar sua participação especial em ‘Be Careful’.

“Três dias antes de Madonna chegar para sua sessão, tínhamos finalizado ‘Livin’ La Vida Loca’, então eu mostrei a ela a faixa. Ela realmente amou. Depois de ouvir a música, ela disse: ‘Eu definitivamente estou mais animada para trabalhar com você!’. É um momento lindo, que sempre relembro”, contou o artista.

Com o disco vendendo mais de 15 milhões de cópias, o sucesso, agora mundial, acabou desembocando nos questionamentos acerca de sua sexualidade. Em uma passagem famosa, a jornalista Barbara Walter faz uma entrevista infame e pergunta diretamente a ele se era gay.

“Eu estava vivendo com medo. Eu nem posso te dizer quantas vezes pensei comigo: ‘Por que não respondi a Barbara Walters que era gay e fim?’. Hoje em dia, penso que não era o meu momento. Eu estava vivendo com muita homofobia internalizada. Eu nem sabia o que era isso na época, é claro. […] Eu não tinha problemas em ‘me aceitar’, porque vivia abertamente na minha vida privada, mas sim em ter isso publicamente revelado sobre mim”, relembra Martin.

Veja também:
Ludmilla 'esnoba' beijo de Joelma durante show e vídeo viraliza na web

Pessoas próximas ao cantor, incluindo amigos e empresários, também o aconselhavam contra se assumir. “Eles diziam que a minha carreira ia acabar, que o mundo não estava preparado para um ícone pop assumidamente homossexual. Nessa época, eu só amava estar no palco – escrever músicas era difícil, porque não podia falar da minha vida pessoal. Fazer entrevistas, então, nem se fala”.

Apenas em 2010, já com 38 anos, finalmente se sentiu confortável o bastante para ‘sair do armário’, através de um post em seu blog pessoal. “Eu estava chorando enquanto escrevia. Foi tão catártico e libertador, nunca me senti melhor na minha vida. Eu estava preparado para qualquer resultado que isso pudesse ter”, relembra.

“A verdade é que minha carreira melhorou quando eu me assumi. Por um momento pensei que aquilo era o fim de tudo, mas o que aconteceu foi que, dentro de dois dias, ganhei em torno de um milhão de seguidores [no Twitter]. Tenho certeza que muita gente me abandonou quando postei aquilo, mas ao mesmo tempo muita gente voltou ou começou a me acompanhar”.

‘Eu gostaria que eles fossem gays’, diz Ricky Martin sobre os filhos