Foto: reprodução / Instagram

Rihanna recusou show no Super Bowl em apoio a Kaepernick

A campanha em apoio a Colin Kaepernick tem encontrado cada vez mais adeptos. Depois de Serena Williams e LeBron James, essa foi a vez de outra celebridade mostrar ao público que está do lado do ex-quarterback: Rihanna recusou o convite para cantar no intervalo do próximo Super Bowl da NFL.

O motivo do declínio tem nome e sobrenome. De acordo com a revista norte-americana Us Weekly, Rihanna recusou a possibilidade de ser a maior atração de um dos principais eventos esportivos do mundo em apoio ao ex-jogador dos San Francisco 49ers permanece mais uma temporada sem time.

Kaepernick não foi contratado por nenhuma outra equipe desde a temporada 2016-17, quando protagonizou uma campanha em que ajoelhava durante o hino dos Estados Unidos em protesto contra a violência policial sobre cidadãos negros. Depois, diversos jogadores aderiram ao ato, que foi censurado pela liga.

“A NFL e a CBS realmente queriam a Rihanna como a atração do próximo ano em Atlanta (sede do próximo Super Bowl). Eles ofereceram isso para ela, mas ela disse ‘não’ por conta da conta da controvérsia do ajoelhamento. Ela não concorda com a postura da NFL”, teria declarado uma fonte ao repórter Nicholas Hautman.

Um dos possíveis substitutos da cantora no show do dia 3 de fevereiro é a banda Maroon 5, já listada como uma dos fortes candidatas a protagonizarem o evento. Na última edição, o show do intervalo foi protagonizado pelo cantor Justin Timberlake.

Rihanna faz desfile de lingerie com dança ao vivo e supermodelos

Compartilhar