Selena Gomez passa 90 dias sem celular e revela: “fiquei relaxada”

Cantora disse que raramente utiliza o celular agora (Reprodução/Instagram)

Cantora disse que raramente utiliza o celular agora (Reprodução/Instagram)

Selena Gomez esteve afastada de seu trabalho desde agosto deste ano. A cantora deu uma pausa na carreira para tratar problemas de saúde, tanto físicos quanto psicológicos.

Ela retomou o ritmo no fim de novembro e, nesta semana, concedeu uma entrevista reveladora ao jornal Thrive Global. Ela deu detalhes sobre o período em que se afastou da mídia e disse que passar três meses sem celular foi um dos fatores que mais ajudaram em sua recuperação.

“Eu fiquei três meses sem celular. Me senti muito mais relaxada e revigorada. Eu raramente uso o telefone agora. Pouquíssimas pessoas têm acesso a mim”, afirmou Selena ao jornal Thrive Global.

Ao longo da pausa, Selena Gomez disse ter aprendido a lidar melhor consigo mesma. A começar pelos seus hábitos matinais, que a deixam disposta pelo restante do dia. “Minha rotina de manhã é beber água, me alongar e respirar fundo”, revelou.

Agora, Selena Gomez revela ter um novo mantra. “Você não é o que acontece contigo, você é o que você escolhe se tornar depois do que acontece contigo”, segundo ela, é a frase que a acompanha em sua nova fase pessoal.

Problemas de saúde

Selena Gomez se afastou para cuidar de problemas sérios de saúde. Além de ter lúpus – doença inflamatória na qual o sistema imunológico ataca os próprios tecidos -, a cantora tem sido afetada com efeitos colaterais da doença, como ansiedade, ataques de pânico e depressão.

Veja também:
'Não tenho a melhor voz do mundo', diz Anitta no 'The Voice Brasil'

Quando parou, Selena estava em turnê para divulgar o disco “Revival”, lançado em outubro do ano passado. Com a pausa, todos os shows dela foram desmarcados. A artista tinha quatro datas marcadas no Brasil, em Curitiba, Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, para dezembro deste ano. Na capital paulista, onde faria parte de um festival, Demi Lovato a substituirá.

Por Igor Miranda

Compartilhar