Spotify muda visual e melhora versão gratuita para atrair usuários

Plataforma de streaming de música tenta conseguir mais assinantes (Divulgação)

Plataforma de streaming de música tenta conseguir mais assinantes (Divulgação)

O serviço de streaming de música Spotify revelou, na terça-feira (24), uma nova versão do aplicativo que, além de mudanças no visual, traz também uma novidade interessante: agora, os usuários gratuitos do serviço terão uma “cota” de 750 músicas, divididas em 15 listas de reprodução, que poderão ser ouvidas sob demanda.

Atualmente, os usuários gratuitos do serviço só escolhem a primeira música que vão ouvir; depois, o algoritmo do serviço monta uma seleção aleatória com outras faixas, que não podem ter sua posição trocada na seleção. As mudanças começam a ser liberadas para todos a partir de hoje.

As 15 listas de reprodução, porém, não são montadas pelo próprio usuário, mas continuam sendo preparadas pelo algoritmo. Segundo o Spotify, as playlists são atualizadas diariamente, de acordo com as músicas que o usuário ouvir mais, o que significa que não será necessário ouvir as mesmas músicas todos os dias.

Veja também:
Azealia Banks perde a paciência com brasileiros e posta desabafo: 'nunca mais'

No geral, a experiência do usuário no serviço deverá ser mais personalizada. O aplicativo pedirá, mesmo para os usuários que não assinam o serviço, que indiquem seus artistas favoritos assim que se cadastrarem no serviço. Isso permitirá um maior nível de personalização das recomendações. O aplicativo também ganhou um modo de economia de dados, o que ajudará usuários com planos de dados limitados.

Os novos recursos do aplicativo fazem parte de uma mudança maior no design do aplicativo, que será oferecida tanto para usuários gratuitos como para assinantes do Spotify. A mudança, que aumenta o nível de acesso de usuários gratuitos ao acervo do serviço, tem o objetivo de conquistar mais assinantes no futuro. Hoje, o Spotify tem 90 milhões de usuários gratuitos em todo o mundo – 60% dos atuais assinantes começaram a experiência no aplicativo como usuários gratuitos.

* Por Estadão Conteúdo

Compartilhar