Fotos: Reprodução/Instagram

Azealia Banks desenterra gato, ‘cozinha’ os restos mortais e divide opiniões na web

A rapper Azealia Banks viu seu nome ficar em evidência na web por um motivo que assustou muita gente: na terça-feira (12), a cantora compartilhou fotos e vídeos em que aparece desenterrando seu gato, Lucifer, morto há três meses, e aparentemente cozinhando os restos mortais do animal.

“Lucifer 2009-2020. Meu querido gatinho. Obrigado por tudo. Uma lenda. Um ícone. Pra sempre um servo”, afirmou a cantora na publicação, feita em seu Instagram.

Em um vídeo, a rapper aparece desenterrando o bichano. Depois, é possível vê-la mexendo os restos mortais de Lucifer em uma panela.

A postagem já foi apagada pela cantora, mas como já era de se esperar, foi salva e divulgada por internautas. Confira abaixo. Atenção: as cenas podem ser fortes e sensíveis para algumas pessoas.

Em outra postagem, Azealia Banks divulgou uma foto do crânio de seu gato em um recipiente com outros objetos, como uma garrafa de espumante, penas de pavão, galhos e um perfume.

As postagens, como sempre, dividiram a opinião de internautas. Alguns condenaram a atitude da rapper e até fizeram piada, enquanto que outros lembraram que esse é um ritual comum na religião conhecida como santeria, da qual a rapper faz parte, e consideraram racistas e intolerantes alguns dos ataques contra a cantora.

Veja também:
Enterro de Seu Francisco é marcado por muita emoção e Zezé toca 'É O Amor'

Confira:

Azealia Banks se defende

Veja também:
Para quem Gustavo Mioto escreveu a música 'Impressionando os Anjos'?

Em seus stories no Instagram, a cantora se defendeu após toda a polêmica.

Ela explicou que estava realizando um processo de taxidermia com os restos mortais de seu gato e lembrou que muitos caçadores costumam fazer o mesmo com crânio de animais abatidos.

A cantora também disse que o momento em que “cozinhava” Lucifer se tratava, na realidade, de um banho de peróxido de hidrogênio, necessário para o processo.

Por fim, Azealia também acusou aqueles que a atacaram de racismo e intolerância religiosa, se lembrando de outras práticas semelhantes no cristianismo e judaísmo.

Compartilhar