Aaron Carter é preso e detona irmão Nick, dos Backstreet Boys

'Não é legal me usar como marketing', reclamou Aaron (Habersham County S.Office)

‘Não é legal me usar como marketing’, reclamou Aaron (Habersham County S.Office)

O cantor Aaron Carter foi preso na Georgia, nos Estados Unidos, no último sábado (15). Após ter sido solto, no início desta semana, Aaron ainda disparou contra o próprio irmão, Nick Carter, que integra os Backstreet Boys.

Aaron foi detido por posse de maconha e dirigir sob influência enquanto viajava para fazer um show. Ele é acusado de ter se recusado a fazer teste do bafômetro e exames de urina e sangue, que revelariam se ele estava ou não dirigindo sob influência de drogas. Por fim, os policiais afirmam que o cantor cometeu uma tentativa de “obstrução às autoridades”.

A namorada do músico, Madison Parker, estava com ele e também foi presa. Momentos depois de ser detido, ele fez um tweet informando que o show que faria em Georgia seria cancelado porque teve “problemas de transporte”.

Pelas redes sociais, Aaron Carter disse que sofre de ansiedade e tem licença médica para usar maconha. No comunicado, ele afirmou que foi preso “por ser uma celebridade”. “Após entrar em uma oficina e pedir ajuda com seu carro, ele foi preso por vários policiais e foi agredido. […] Ele acredita que por ser uma celebridade, foi alvo da polícia”, afirma a nota de sua assessoria.

Veja também:
Com 48 anos de idade, Mariah Carey surge muito sensual em novo videoclipe

No texto, Aaron ainda disparou contra Nick, que havia feito publicações nas redes sociais lamentando pelo ocorrido, mas sequer havia entrado em contato com o irmão. “Se meu irmão de sangue realmente se importasse com meu bem-estar, por que ele não me ligaria diretamente para ter uma conversa ao invés de fazer isso em um site público? Não é legal me usar como marketing e me chutar quando estou mal. Eu amo minha família apesar disso”, disse.

Por Igor Miranda (@silvercm) e Estadão Conteúdo