Fotos: divulgação

Ana Paula Valadão critica pastores que não fecharam igrejas e Silas Malafaia rebate

A cantora e pastora Ana Paula Valadão se posicionou, nas redes sociais, de forma contrária a lideranças religiosas que não estejam fechando igrejas e templos. A medida contraria recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) de evitar aglomerações que possam aumentar o contágio do novo coronavírus (Covid-19).

A crítica de Ana Paula Valadão foi feita em um vídeo de pouco mais de 6 minutos no Instagram. Na legenda, ela explica: “Denúncia! Não sou profeta do caos, mas sou uma voz pela sensatez. Cuidado com a religiosidade que está ameaçando o bom senso”.

Ao longo da filmagem, a artista gospel evidenciou sua preocupação com as igrejas que seguem abertas para o público. “Temos uma responsabilidade com as pessoas que nos ouvem. Se estão dizendo que você deve ir à casa de Deus porque lá é o lugar do socorro de Deus, se não estão cancelando as reuniões, os ajuntamentos, não siga as instruções desses líderes. Somos chamados a uma fé racional, sensata”, afirmou.

Veja também:
Di Ferrero tem melhora em quadro de coronavírus e revela como é ter a doença

Ela também questionou o motivo pelo qual tais lideranças não estejam fechando os templos. “Meu temor é que os crentes sejam os propagadores desse vírus. Por que será que esses líderes não estão querendo cancelar? Todo mundo vai sofrer com a recessão econômica que está vindo. Estão com medo de perder o que, arrecadação financeira? Venho aqui denunciar isso e repreender de você, que é ovelha, esse jugo porque esse jugo não vem de Deus”, disse.

A publicação contou com mais de 630 mil visualizações em menos de 24 horas. Nos comentários, Ana Paula Valadão encontrou apoio de seus seguidores.

Veja o vídeo de Ana Paula Valadão:

Silas Malafaia rebate Ana Paula Valadão

Pelas redes sociais, o pastor Silas Malafaia respondeu às críticas de Ana Paula Valadão. Ele havia declarado, anteriormente, que não fecharia as igrejas em que atua como liderança religiosa. Dessa forma, Malafaia entendeu que seria um dos alvos dos comentários da cantora e pastora.

Malafaia optou por gravar um vídeo para falar sobre o assunto. Na legenda, antecipa que falará, justamente, sobre Ana Paula Valadão: “Imperdível! Uma resposta contundente a quem não tem autoridade espiritual e voz profética para determinar sobre a vida do povo evangélico no Brasil. Uma resposta a acusações inescrupulosas no meio do povo. Não precisamos de gente para aterrorizar o povo no meio evangélico”.

Veja também:
Marília Mendonça critica artistas que não cancelaram shows pelo coronavírus

Na filmagem, Silas Malafaia busca explicar que enquanto o culto é racional, a fé é transcendental. Em seguida, direciona críticas a Ana Paula Valadão. “A fé pertence ao mundo do transcendente e não da lógica. Nós estamos vivendo um tempo em que gente, porque é famosa no meio da igreja evangélica, porque tem milhões de seguidores, julga autoridade espiritual e voz profética para vir esculhambar e desmerecer palavras de líderes”, disse.

Os comentários seguem ainda mais ácidos. “A pessoa não obedece nem a cadeia de autoridade que ela está submetida, porque se ela obedecesse, respeitaria seu pai, que é um santo e grande homem de Deus. Quem está falando isso não tem moral porque passou a vida cobrando cachês milionários das igrejas para cantar. E vive nos Estados Unidos. Que autoridade você tem para uma acusação leviana dessa?”, afirmou.

Até o momento, Ana Paula Valadão não se posicionou sobre as críticas de Silas Malafaia.

Veja o vídeo do pastor:

Veja também:
Leonardo compara coronavírus com HIV e divide opiniões nas redes sociais

Respostas sobre o coronavírus

O que é o novo coronavírus?
Coronavírus é uma família de vírus que pode causar danos em animais e em humanos. Em pessoas, pode resultar em infecções respiratórias que vão desde um resfriado até síndromes respiratórias agudas severas. O novo coronavírus (SARS-Cov-2) causa a doença denominada Covid-19, que teve início na China, em dezembro de 2019.

Quais são os sintomas?
Os sintomas do Covid-19 envolvem febre, cansaço e tosse seca. Parte dos pacientes pode apresentar dores, congestão nasal, coriza, tosse e diarreia. Alguns pacientes podem ser assintomáticos, ou seja, estarem infectados pelo vírus, mas não apresentarem sintomas. O Ministério da Saúde estima que os pacientes mais jovens são os mais passíveis de não apresentar qualquer sinal da doença.

Qual o período de incubação do vírus?
De acordo com a OMS, a estimativa é que o período de incubação seja de 1 a 14 dias. Ou seja, o vírus teria esse tempo para se manifestar. O mais comum é a manifestação por volta de cinco dias. Mas há pessoas que não apresentam sintomas.

Quais são os maiores problemas e os públicos mais vulneráveis?
A OMS calcula que 1 em cada 6 pacientes pode ter um agravamento do quadro, com dificuldades respiratórias sérias. No início de março, a taxa de letalidade era de 3,5%. Mas o Ministério da Saúde suspeita que pode ser menor, em razão de haver subnotificação dos casos em alguns países. Os públicos mais vulneráveis são idosos e pessoas com doenças crônicas (diabetes, pressão alta e doenças cardiovasculares).

Como ocorre a transmissão?
O contágio ocorre a partir de pessoas infectadas. A doença pode se espalhar desde que alguém esteja a menos de 2 metros de distância de uma pessoa com a doença. A transmissão pode ocorrer por gotículas de saliva, espirro, tosse ou catarro, que podem ser repassados por toque ou aperto de mão, objetos ou superfícies contaminadas pelo infectado.

O novo coronavírus pode ser transmitido pelo ar?
O novo coronavírus não é transmitido pelo ar a menos que um indivíduo chegue próximo a um paciente infectado a ponto de as formas de contaminação serem possíveis.

É possível pegar o Covid-19 de alguém sem sintomas?
De acordo com a OMS, as chances são pequenas, pois o vírus é transmitido por saliva, espirro, tosse ou catarro, elementos mais presentes quando uma pessoa está com gripe.

Animais de estimação podem transmitir o novo coronavírus?
Não. Não há evidência de que animais de estimação como gatos e cachorros tenham sido infectados ou possam espalhar o vírus que causa a Covid-19.

Quanto tempo o vírus pode durar em uma superfície?
A OMS informa que não há um tempo determinado, podendo ser de algumas horas a alguns dias. Pode haver diferença também em razão de condições como a temperatura. Por isso, caso alguém suspeite da contaminação de uma superfície ou objeto, a orientação é aplicar desinfetante.

Quais são as medidas de prevenção ao Covid-19?
O Ministério da Saúde explica que não há medicamento, substância, vitamina, alimento específico ou vacina que possa prevenir a infecção pelo novo coronavírus e indica as seguintes medidas de prevenção:

– lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, ou usar desinfetante para as mãos à base de álcool quando a primeira opção não for possível;
– evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– evitar contato próximo com pessoas doentes;
– ficar em casa quando estiver doente;
– usar um lenço de papel para cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar, e descartá-lo no lixo após o uso;
– não compartilhar copos, talheres e objetos de uso pessoal;
– limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
– manter ambientes bem ventilados e higienizar as mãos após tossir ou espirrar.

O uso de álcool gel para prevenção ao coronavírus é eficaz?
Sim. De acordo com o Conselho Federal de Química, o álcool gel é “eficiente desinfetante de superfícies/objetos e antisséptico para a pele”. O grau alcóolico recomendado para o efeito é de pelo menos 70%.

Preciso usar máscara para me proteger?
A máscara não tem efeito algum para pessoas sem o vírus. Ela deve ser utilizada por quem apresenta sintomas da doença, pois previne que alguém infectado espalhe o vírus e venha a contaminar outras pessoas. O uso também é recomendado para pessoas que tenham contato com indivíduos com suspeita ou confirmação do novo coronavírus. Máscaras também devem ser usadas por profissionais de saúde que atuem em locais com pacientes com suspeitas ou sintomas. Após o uso, a orientação é descartar a máscara em local adequado e lavar as mãos.

Estou com tosse, febre e dores. Preciso fazer exames para detectar se estou com Covid-19?
Pessoas que apresentem sintomas da doença devem procurar orientação médica, em especial, os postos de saúde. A partir do relato do paciente é que o médico decidirá sobre a necessidade de se fazer o teste para Covid-19. Atualmente, a recomendação das autoridades sanitárias é que sejam testados apenas os pacientes com sintomas respiratórios e que tenham tido contato com alguém infectado ou que tenham viajado para uma região onde há transmissão da doença. O exame só pode ser feito com solicitação médica. Ele é feito por hospitais públicos e privados e confirmado por laboratórios de referência espalhados pelo Brasil. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou que os planos de saúde deverão cobrir os testes realizados na rede privada.

Existe tratamento para a doença?
Segundo a OMS, 80% das pessoas se recuperam sem precisar de tratamento especial. Não há uma medicação que elimine o vírus. Mas há tratamento para mitigar o avanço da doença e diminuir o desconforto.

Antibióticos ou vitamina D previnem ou curam o novo coronavírus?
Não. Antibióticos não atuam contra o vírus. Da mesma forma, não há evidências científicas que atestem qualquer impacto sobre o vírus de doses de vitamina D.

Voltei de uma viagem internacional e visitei um país com casos de coronavírus. O que preciso fazer?
Caso apresente sintomas, procure uma unidade de saúde e informe a situação para receber orientação médica. A recomendação do Ministério da Saúde é esperar pelo menos 14 dias para avaliar a evolução do quadro de saúde.

Igor Miranda é jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical.

Compartilhar