Foto: divulgação

Marília Mendonça critica artistas que não cancelaram shows pelo coronavírus

A cantora Marília Mendonça se posicionou de forma contrária com relação aos artistas que estão mantendo seus shows, mesmo com as orientações de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19). Nos últimos dias, a proliferação da doença foi classificada como pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Nas redes sociais, uma fã comentou que “brasileiro só fecha a porta depois que é roubado”. “Nntão, nesse caso só vão fechar a porta depois de infectado, primeiro vão esperar começar as mortes pra depois querer fazer alguma coisa”, disse a internauta.

Marília, então, manifestou sua opinião sobre o assunto. “O egoísmo está grande demais, principalmente dentro do meu próprio mercado. Ninguém tá nem aí. Não conseguem colocar a mão na consciência e pensar além. Todo mundo precisa ganhar dinheiro para sobreviver, mas antes precisamos SOBREVIVER. Conta básica”, afirmou a cantora.

Shows cancelados

A artista seguiu o exemplo dado na publicação feita na internet e cancelou o show que faria, no último sábado (14), na cidade de Umuarama, interior do Paraná. A produção dela divulgou, ainda, que avalia interromper a turnê que marca seu retorno aos palcos, meses após dar à luz Leo, seu primeiro filho com o também cantor Murilo Huff.

Veja também:
Marília Mendonça rebate fã que a chamou de mãe rica: 'trabalhei muito'

Pelas redes, ela comentou sobre ter cancelado o show de sábado (14), porém, realizado o de sexta-feira (13), em Paranavaí, também no Paraná: “Cancelamos o show hoje (sábado, 14). Deveríamos ter cancelado o show ontem (sexta-feira, 13). E com certeza virão muitos shows cancelados pela frente. Tô achando bom? É claro que não. Foi certo fazer o show ontem? É claro que não. Deveria ter me posicionado antes? É claro que sim. O prejuízo não é só meu, nem seu. O mundo está sofrendo as consequências de uma pandemia, empresário, consumidor e economia estão sofrendo consequências muito graves. Muitos erros serão cometidos, como foram, mas o mais rápido que der pra corrigir, a gente DEVE corrigir”, disse.

As próximas datas de Marília Mendonça são – ou seriam – nas cidades de Florianópolis (SC), Betim (MG) e Fortaleza (CE), respectivamente nos dias 20, 21, 27 e 28 de março. Ao que tudo indica, as apresentações não serão realizadas.

Apoio aos cancelamentos

Na última segunda-feira (16), Marília Mendonça divulgou um comunicado em que declara se posicionar “favorável àqueles que suspenderam, adiaram ea té mesmo cancelaram eventos públicos e privados”. “A decisão de realizar ou não um show não é minha. Como existem contratos firmados e ingressos vendidos, o adiamento ou cancelamento depende da concordância de todos os envolvidos”, diz.

View this post on Instagram

⚠ Comunicado importante.

A post shared by marilia mendonça (@mariliamendoncacantora) on

Veja também:
Marília Mendonça reclama do gosto de whey protein: 'gosto de vômito'

Respostas sobre o coronavírus

O que é o novo coronavírus?
Coronavírus é uma família de vírus que pode causar danos em animais e em humanos. Em pessoas, pode resultar em infecções respiratórias que vão desde um resfriado até síndromes respiratórias agudas severas. O novo coronavírus (SARS-Cov-2) causa a doença denominada Covid-19, que teve início na China, em dezembro de 2019.

Quais são os sintomas?
Os sintomas do Covid-19 envolvem febre, cansaço e tosse seca. Parte dos pacientes pode apresentar dores, congestão nasal, coriza, tosse e diarreia. Alguns pacientes podem ser assintomáticos, ou seja, estarem infectados pelo vírus, mas não apresentarem sintomas. O Ministério da Saúde estima que os pacientes mais jovens são os mais passíveis de não apresentar qualquer sinal da doença.

Qual o período de incubação do vírus?
De acordo com a OMS, a estimativa é que o período de incubação seja de 1 a 14 dias. Ou seja, o vírus teria esse tempo para se manifestar. O mais comum é a manifestação por volta de cinco dias. Mas há pessoas que não apresentam sintomas.

Quais são os maiores problemas e os públicos mais vulneráveis?
A OMS calcula que 1 em cada 6 pacientes pode ter um agravamento do quadro, com dificuldades respiratórias sérias. No início de março, a taxa de letalidade era de 3,5%. Mas o Ministério da Saúde suspeita que pode ser menor, em razão de haver subnotificação dos casos em alguns países. Os públicos mais vulneráveis são idosos e pessoas com doenças crônicas (diabetes, pressão alta e doenças cardiovasculares).

Como ocorre a transmissão?
O contágio ocorre a partir de pessoas infectadas. A doença pode se espalhar desde que alguém esteja a menos de 2 metros de distância de uma pessoa com a doença. A transmissão pode ocorrer por gotículas de saliva, espirro, tosse ou catarro, que podem ser repassados por toque ou aperto de mão, objetos ou superfícies contaminadas pelo infectado.

O novo coronavírus pode ser transmitido pelo ar?
O novo coronavírus não é transmitido pelo ar a menos que um indivíduo chegue próximo a um paciente infectado a ponto de as formas de contaminação serem possíveis.

É possível pegar o Covid-19 de alguém sem sintomas?
De acordo com a OMS, as chances são pequenas, pois o vírus é transmitido por saliva, espirro, tosse ou catarro, elementos mais presentes quando uma pessoa está com gripe.

Animais de estimação podem transmitir o novo coronavírus?
Não. Não há evidência de que animais de estimação como gatos e cachorros tenham sido infectados ou possam espalhar o vírus que causa a Covid-19.

Quanto tempo o vírus pode durar em uma superfície?
A OMS informa que não há um tempo determinado, podendo ser de algumas horas a alguns dias. Pode haver diferença também em razão de condições como a temperatura. Por isso, caso alguém suspeite da contaminação de uma superfície ou objeto, a orientação é aplicar desinfetante.

Quais são as medidas de prevenção ao Covid-19?
O Ministério da Saúde explica que não há medicamento, substância, vitamina, alimento específico ou vacina que possa prevenir a infecção pelo novo coronavírus e indica as seguintes medidas de prevenção:

– lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, ou usar desinfetante para as mãos à base de álcool quando a primeira opção não for possível;
– evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– evitar contato próximo com pessoas doentes;
– ficar em casa quando estiver doente;
– usar um lenço de papel para cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar, e descartá-lo no lixo após o uso;
– não compartilhar copos, talheres e objetos de uso pessoal;
– limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
– manter ambientes bem ventilados e higienizar as mãos após tossir ou espirrar.

O uso de álcool gel para prevenção ao coronavírus é eficaz?
Sim. De acordo com o Conselho Federal de Química, o álcool gel é “eficiente desinfetante de superfícies/objetos e antisséptico para a pele”. O grau alcóolico recomendado para o efeito é de pelo menos 70%.

Preciso usar máscara para me proteger?
A máscara não tem efeito algum para pessoas sem o vírus. Ela deve ser utilizada por quem apresenta sintomas da doença, pois previne que alguém infectado espalhe o vírus e venha a contaminar outras pessoas. O uso também é recomendado para pessoas que tenham contato com indivíduos com suspeita ou confirmação do novo coronavírus. Máscaras também devem ser usadas por profissionais de saúde que atuem em locais com pacientes com suspeitas ou sintomas. Após o uso, a orientação é descartar a máscara em local adequado e lavar as mãos.

Estou com tosse, febre e dores. Preciso fazer exames para detectar se estou com Covid-19?
Pessoas que apresentem sintomas da doença devem procurar orientação médica, em especial, os postos de saúde. A partir do relato do paciente é que o médico decidirá sobre a necessidade de se fazer o teste para Covid-19. Atualmente, a recomendação das autoridades sanitárias é que sejam testados apenas os pacientes com sintomas respiratórios e que tenham tido contato com alguém infectado ou que tenham viajado para uma região onde há transmissão da doença. O exame só pode ser feito com solicitação médica. Ele é feito por hospitais públicos e privados e confirmado por laboratórios de referência espalhados pelo Brasil. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou que os planos de saúde deverão cobrir os testes realizados na rede privada.

Existe tratamento para a doença?
Segundo a OMS, 80% das pessoas se recuperam sem precisar de tratamento especial. Não há uma medicação que elimine o vírus. Mas há tratamento para mitigar o avanço da doença e diminuir o desconforto.

Antibióticos ou vitamina D previnem ou curam o novo coronavírus?
Não. Antibióticos não atuam contra o vírus. Da mesma forma, não há evidências científicas que atestem qualquer impacto sobre o vírus de doses de vitamina D.

Voltei de uma viagem internacional e visitei um país com casos de coronavírus. O que preciso fazer?
Caso apresente sintomas, procure uma unidade de saúde e informe a situação para receber orientação médica. A recomendação do Ministério da Saúde é esperar pelo menos 14 dias para avaliar a evolução do quadro de saúde.

Veja também:
Leonardo compara coronavírus com HIV e divide opiniões nas redes sociais

Igor Miranda é jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical.

Compartilhar