Foto: divulgação

Henrique e Juliano também pagarão pensão vitalícia à família de funcionário morto

A dupla Henrique e Juliano ampliou a indenização a ser paga à família de um funcionário que morreu eletrocutado no palco onde eles se apresentariam, durante um show em Uberaba, Minas Gerais, em fevereiro de 2019. Carlos Barbosa de Souza, conhecido como Carlão, realizava reparos no local quando recebeu a descarga elétrica – em seguida, ele caiu de uma altura de 6 metros, sofrendo, ainda, uma parada cardíaca.

Veja também:
Henrique e Juliano terão de pagar R$ 300 mil à família de funcionário morto

Um acordo firmado durante audiência 1ª Vara do Trabalho de Goiânia, presidida pelo juiz Édison Vaccari, estabelecia o pagamento de indenização de R$ 300 mil aos familiares de Carlão. De acordo com o jornalista Leo Dias, do ‘Uol’, Henrique e Juliano optaram por estender o pagamento a uma pensão vitalícia de um salário mínimo, cada, ao pai e à mãe do funcionário e solicitar que os oito irmãos do homem também obtivessem uma parte do valor indenizatório.

Alguns sites noticiaram que a pensão vitalícia havia sido determinada durante a audiência. Porém, a dupla esclareceu que o valor pago mensalmente aos pais da vítima foi uma opção dos próprios cantores, como complemento à indenização.

“Mesmo a dupla e seu escritório não sendo responsáveis pelo evento, mas por vontade própria da dupla, foi pedido para que se incluísse uma pensão vitalícia aos pais. Além disso, foi solicitado para que o benefício do acordo fosse estendido também aos oito irmãos de Carlos”, diz uma nota enviada pela assessoria de Henrique e Juliano.

O texto completa: “Henrique e Juliano têm absoluta convicção de ser impossível precificar uma vida mas, sentem-se aliviados por garantir um futuro confortável aos familiares, principalmente aos pais”.

Representando a dupla sertaneja e o escritório WorkShow, o advogado Maurício Vieira de Carvalho disse, em entrevista ao site ‘G1’, que o caso obteve a conclusão esperada. “A empresa prestou todo o apoio para a família desde que aconteceu o acidente e agora não seria diferente”, afirmou.

Veja também:
33 cantores negam ter ido a evento de Bolsonaro e Planalto corrige lista

Por sua vez, uma das advogadas da família de Carlão, Paula Ramos Nora de Santis, comentou ao ‘G1’ que o valor não foi o esperado – foi pedida indenização de R$ 1,9 milhão -, mas acabou sendo aceito para evitar desgaste, visto que eles precisaram viajar 800 km do estado do Tocantins até Goiânia para a audiência. “Poderia ter sido mais justo o valor, mas tivemos que aceitar porque eles precisam descansar”, disse.

À época, Henrique e Juliano cancelaram o show que seria realizado em Uberaba após o falecimento do funcionário. Nas redes sociais, compartilharam uma mensagem lamentando o ocorrido.

“A família Henrique e Juliano está de luto. Hoje, um dos integrantes da equipe sofreu um acidente e, infelizmente, veio a óbito. Compartilhamos com a família de Carlos Barbosa de Souza, Carlão, o sentimento de perda e dor. Que Deus receba nosso companheiro em seus braços e conforte o coração de seus entes queridos. Descanse em paz, Carlão”, disse, na ocasião.

Veja também:
Dilsinho perde aposta com Henrique e Juliano e acaba ficando careca

Igor Miranda é jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical.

Compartilhar