Foto: Fabio Tito/G1

Público fica possesso com substituição do Foo Fighters no Lollapalooza

Após a notícia da morte de Taylor Hawkins apenas dois dias antes do show, a organização do festival Lollapalooza Brasil precisou correr e escolher artistas para substituir a banda Foo Fighters – atração aguardada por grande parte do público.

  • Aspirador de pó, fritadeiras elétricas, enxoval, ventiladores… que tal conferir ofertas imperdíveis e renovar sua casa com até 40% de desconto e opção de FRETE GRÁTIS? Clique aqui.

Para a surpresa de muitos, o festival colocou Emicida e Planet Hemp no lugar da banda norte-americana.

Além deles, outros artistas do rap nacional também fizeram parte do show, como: Criolo, Djonga, Drix Barbosa, Bivolt, DJ KL Jay, DJ Nyack, Rael, Ego Kill Talent Mano Brown. 

Veja também:
E o rock? Fãs cantam 'Evidências' após show do Foo Fighters no Rio

Diante da mudança, alguns fãs do Foo Fighters (os que também são fãs de rap) se divertiram com os artistas substitutos.

Entretanto, após o palco principal do Lollapalooza ter sido tomado pelos rappers brasileiros, um dos argumentos utilizado por algumas pessoas decepcionadas foi que deveriam ter colocado outra banda de rock para substituir Foo Fighters.

Alguns também chegaram a alegar que esses artistas de rap fazem shows com frequência pelo país, muitas vezes até de graça.

Houve quem se revoltasse com a organização do Lollapalooza e começasse um movimento nas redes sociais pedindo reembolso do valor de seus ingressos de domingo (27). O festival ainda não informou se acatará este pedido ou não.

Surpreendentemente, algumas pessoas nem sequer sabiam da morte de Taylor Hawkins, muito menos do cancelamento do show da banda Foo Fighters no festival, que aconteceu no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.

Veja também:
Coração de Taylor Hawkins chegou ao dobro do tamanho até 'colapsar'

Além do Foo Fighters

O último dia do Lollapalooza contou com muitos protestos contra o presidente Jair Bolsonaro, após o anúncio da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de vetar manifestação eleitoral no evento.

Tudo começou no primeiro dia de festival, quando a drag queen Pablo Vittar fez menções a Lula durante seu show. Outros artistas também manifestaram sua opinião política – desfavorável a Bolsonaro – durante suas apresentações.

Muitos fizeram apelo aos adolescentes brasileiros que ainda não tiraram seus títulos de eleitor, para que se preparassem para poder votar nas eleições presidenciais de outubro/2022.

Entretanto, a decisão do TSE de proibir as manifestações eleitorais, revoltou os artistas, que subiram aos palcos ainda mais determinados a falar contra o que chamaram de tentativa de censura do governo.

Veja também:
Impedido de ouvir Pabllo Vittar, homem esfaqueia três pessoas em briga de bar

Veja uma foto do público do último de shows do Lollapalooza 2022:

Foto: Reprodução/Instagram

  • Aspirador de pó, fritadeiras elétricas, enxoval, ventiladores… que tal conferir ofertas imperdíveis e renovar sua casa com até 40% de desconto e opção de FRETE GRÁTIS? Clique aqui.

Coração de Taylor Hawkins chegou ao dobro do tamanho até ‘colapsar’