Fotos: Reprodução/Twitter

Édith Piaf: quem foi a cantora francesa citada pelo juiz Sérgio Moro?

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, citou o nome da cantora francesa Édith Piaf durante uma live, na noite do último domingo (28), com empresários e políticos, com o tema ‘O Brasil contra a corrupção’ e acabou virando chacota nas redes sociais.

O motivo? Ele não soube pronunciar corretamente o sobrenome da cantora e muito menos o título de um dos seus maiores sucessos – em francês.

Questionado sobre se havia arrependimento da parte dele por seu trabalho na ‘Operação Lava Jato’, Moro disse que a operação pode ter cometido algum erro, mas que nenhum deles foi de forma intencional.

Foi nesse momento que o juiz mencionou Édith Piaf e a música “Non, Je Ne Regrette Rien” (“Não, Não Me Arrependo de Nada”, em tradução nossa).

Acontece que Sérgio Moro deixou claro que não tem conhecimentos muito fundamentados na língua francesa, pelo menos não com o pronunciamento correto das palavras.

O sobrenome de Édith, Piaf, também deve ser lido exatamente da maneira como se escreve, com o ‘F’ no final.

Moro, no entanto, extraiu essa letra e pronunciou Edith PIÁ. Quanto ao título da canção, ele falou algo como “je ne me regrette rien”, deixando um “me” que não existe no meio da frase.

Internautas não perdoaram e brincaram com a referência brasileira e regional do sul do Brasil da palavra ‘piá’ – gíria paranaense que define garoto do sexo masculino. O fato de Sérgio Moro ser do Paraná contribuiu ainda mais para o trecho viralizar e se tornar meme. 

Veja também:
Solange Cousseau, modelo dos anos 90, relembra romance com Sandra de Sá

“E o Moro que pediu pra tocar aquela famosa música da célebre cantora curitibana, a EDITH PIÁ?”, disse um internauta, ironicamente, ao compartilhar o trecho da entrevista no Twitter. Veja:

O humorista Marcelo Adnet foi rápido e gravou uma “paródia” do trecho da entrevista. Ele satiriza a fala de Moro, na defensiva, afirmando que não se arrepende de nada que fez durante sua atuação na ‘Operação Lava Jato‘. “Neste momento eu cito Édith Piá. Aqui no Paraná é piá mesmo”. 

Confira:

Afinal, quem foi a cantora Édith Piaf?

Ao ser citada por Sérgio Moro, muitas pessoas ficaram curiosas para saber mais sobre a vida e carreira da famosa artista francesa. 

Édith Piaf nasceu em Paris, na França, em 1915, e morreu aos 47 anos de idade, após uma vida marcada por grande sucesso na música somado a uma sucessão de tragédias pessoais.

Ela foi diagnosticada com cegueira na infância, mas se curou anos depois. Criada pelos avós, com um talento notável e enorme paixão pela música, Édith começou a cantar nas ruas da capital francesa, ainda adolescente, para conseguir seu sustento.

Veja também:
Rumores da reconciliação de Gusttavo Lima e Andressa Suita ficam mais fortes

Engravidou aos 16 anos e sua filha, Marselle, faleceu aos 2 anos de idade depois de ter meningite. Foi Louis Leplée que a “descobriu” e impulsionou sua carreira a convidando para se apresentar em seu renomado cabaré.

Seu nome de batismo era Édith Giovanna Gassion, mas devido à pequena estatura da jovem, Louis começou a chamá-la de “la Môme Piaf”, expressão em francês que significa “pequeno pardal”. A partir daí ela assumiu o nome artístico que a fez famosa internacionalmente: Édith Piaf. 

Após a morte violenta de seu amigo e apoiador, Louis Leplée, a carreira dela quase chegou ao fim. Édith, muito resiliente, conseguiu continuar.

Ela começou a viajar para outros países para divulgar seu trabalho e foi nos Estados Unidos que conheceu o homem que viria a se tornar sua grande paixão: o pugilista Marcel Cerdan. 

Ele também morreu repentinamente, em um acidente de avião, e as tragédias não pararam de alcançar a cantora, que sofreu 2 acidentes de carro, mas conseguiu se recuperar. Sete anos depois, sofreu o terceiro acidente. Este a deixou debilitada e a levou à morte.

Édith Piaf morreu em 1963 após sofrer uma hemorragia interna, que aconteceu após um coma hepático. O enterro da artista contou com a presença de muitos fãs, extremamente comovidos com a partida da artista, aos 47 anos.

A música citada por Sérgio Moro, ‘Non, je ne regrette rien‘ (de Michel Vaucaire e Charles Dumont) foi gravada por Édith em 1960, apenas 3 anos antes de falecer. Trata-se de um dos maiores sucessos de sua carreira. A letra traz uma reflexão sobre a vida sofrida da cantora francesa.

Veja também:
João Guilherme faz live tomando banho de banheira e mostra o que não devia

Alguns dos grandes sucessos de Édith são: ‘Hymne à l’amour’, ‘Padam, Padam’, ‘La vie en rose’, ‘Milord’ e ‘La Foule’.

Ouça a música mencionada por Sérgio Moro:

 

Compartilhar