Foto: divulgação

Bruno, dupla de Marrone, admite que errou ao cantar em festa encerrada pela polícia

O cantor Bruno, dupla de Marrone, se manifestou rapidamente após ser veiculada a notícia de que ele se apresentou em uma festa realizada Caldas Novas, cidade turística no estado de Goiás, no último sábado (27). O evento, que reuniu entre 40 a 50 pessoas às margens do Lago de Corumbá, teve de ser encerrado pela Polícia Militar (PM) por ter gerado aglomeração em meio à pandemia do novo coronavírus.

Veja também:
Festa com show do cantor Bruno é encerrada pela polícia em Caldas Novas

A assessoria de imprensa de Bruno já havia enviado um comunicado para afirmar que o cantor “foi contratado para um evento de cunho familiar” e que “permaneceu por pouco mais de uma hora”. “Quando chegou, soube que todos haviam feito teste para Covid-19. Acompanhado de três músicos, fez sua apresentação e deixou o local”, disseram os representantes do artista.

Agora, ao site ‘G1’, o próprio cantor, que já teve Covid-19 e foi curado, deu uma breve declaração sobre o assunto. “Mesmo sem querer errar, a gente erra. Espero aprender cada dia mais com isso”, afirmou à publicação.

Conforme apontado pelo tenente Alexandre Câmara ao jornal ‘O Popular’, a PM soube do evento após uma denúncia por som alto e ao visitar o local, apenas pediram que o volume da música fosse reduzido. Porém, eles descobriram que havia algo a mais acontecendo no local e retornaram para encerrar a festa, que foi dada por um empresário para celebrar seu aniversário.

Veja também:
Em entrevista, Bruno e Marrone se contradizem sobre terem Jair Bolsonaro em live

Além do cantor, estavam no local as ex-BBBs Ivy Moraes e Anamara Barreira. Em nota ao ‘Uol’, representantes de Ivy afirmaram que ela estava na cidade para um trabalho publicitário, mas que foi convidada para a festa, promovida por um conhecido do empresário dela.

“Quando chegarem na casa e perceberam que era uma festa tanto ela como o empresário ficaram constrangidos e saíram rapidamente, permanecendo no local por pouquíssimo tempo”, diz a assessoria de Ivy Moraes. O mesmo site procurou Anamara Barreto, que ainda não se manifestou.

Como em outras cidades do Brasil, Caldas Novas conta com um decreto que proíbe o funcionamento do comércio local, bem como a realização de eventos que promovam aglomeração. A multa para quem desrespeita a nova determinação pode chegar a mais de R$ 30 mil.

A partir de 1° de julho, estabelecimentos como hotéis e pousadas poderão ser reabertos em Caldas Novas. Clubes e parques aquáticos voltarão a funcionar no dia 10.

Veja também:
Afinal, Marrone, da dupla com Bruno, não sabe cantar?

Igor Miranda é jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical.

Compartilhar