Foto: Divulgação bts

BTS terá que interromper carreira graças a serviço militar na Coreia do Sul

Os sete integrantes do BTS, grupo de k-pop de enorme sucesso em todo o mundo, precisarão fazer uma pausa na carreira para cumprir o serviço militar obrigatório na Coreia do Sul. Depois de muitas tentativas em vão, incluindo a criação de uma nova lei (que não foi aprovada), foi confirmado que eles não conseguiram uma dispensa.

A legislação do país obriga todos os homens entre 18 e 28 anos de idade a cumprirem, no mínimo, 2 anos de carreira militar. Parlamentares vinham tentando aprovar uma nova lei que possibilitaria a dispensa de nomes importantes nos cenários artístico e esportivo, mas a investida não funcionou.

Os fãs da banda, em total desespero após a confirmação das informações, estão inconsoláveis. Alguns deles tiveram uma ideia para tentar ajudar o grupo e minimizar os efeitos colaterais da história: criaram um abaixo-assinado digital que se dirige diretamente ao governo sul-coreano.

A ideia é pedir que todos os membros da banda cumpram seus deveres simultaneamente. Dessa forma, bastaria que o BTS anunciasse um hiato de apenas dois anos na carreira e, em seguida, voltasse aos trabalhos normalmente.

“No caso, todos os membros seriam alistados juntos e retornariam em dois anos, isso salvaria o tempo deles e suas carreiras. Por outro lado, se os membros do BTS foram separados eles vão perder muito tempo e popularidade, que provavelmente teria um impacto muito ruim na economia, cultura e turismo do país”, escreve o texto oficial da petição – que já ultrapassa 20 mil assinaturas.

Veja também:
Processos, dívidas e brigas familiares: os melancólicos últimos anos de João Gilberto

Ainda não se sabe nenhum detalhe sobre como o grupo deverá cumprir o serviço militar obrigatório. Curiosamente, os fãs do BTS autointitulam-se como ‘BTS Army’ – ‘Exército do BTS’, em tradução nossa.

Casos semelhantes

A história do BTS não é exatamente uma novidade no universo dos artistas e personalidades. Durante toda a história, outras celebridades também foram obrigadas à cumprir o serviço militar e não foram dispensados, independentemente de suas carreiras de sucesso.

O “rei do futebol” Pelé, por exemplo, se alistou em 1960 – um ano após se consagrar campeão da Copa do Mundo. Outro “rei” que precisou fazer uma pausa na carreira foi Elvis Presley, quando recebeu a convocação para se alistar em 1957. Ele serviu na Alemanha até 1960, onde conheceu sua futura esposa, Priscilla Presley.

Até mesmo Gal Gadot, a atriz que se consagrou ao interpretar a Mulher-Maravilha nos cinemas, cumpriu dois anos de serviço militar obrigatório em Israel. Ela chegou a servir na guerra entre Israel e as milícias do Hezbollah, grupo terrorista do Líbano, em 2006.

O lendário Jimi Hendrix optou por servir um ano após ser pego dirigindo um carro roubado em 1961. A outra opção seria a cadeia. O ator Arnold Schwarzenneger se alistou, mas desertou para participar de um campeonato de fisiculturismo – ele chegou a ser preso por esse motivo.

Veja também:
Depois de dias em silêncio, Pabllo Vittar se desculpa por polêmica com estilista

Um dos maiores atores da história de Hollywood, Clark Gable já tinha carreira de sucesso quando perdeu a sua terceira mulher em um acidente de avião, em 1942. Arrasado, resolveu se alistar na Aeronáutica.

Silvio Santos, Luiz Gonzaga, Mussum, Morgan Freeman, Clint Eastwood, Chuck Norris, Johnny Cash e Sean Connery são alguns outros exemplos de personalidades que serviram às Forças Armadas antes de fazerem sucesso.

Sou jornalista, mas nas horas vagas gosto de fingir que sou influenciador digital. Me segue no insta! @meunomenaoedolfo

Compartilhar