Chris Brown descreve como foi a noite em que agrediu Rihanna

Brown atacou Rihanna com soco no rosto, mordida no braço e empurrão (Divulgação)

Brown atacou Rihanna com soco no rosto, mordida no braço e empurrão (Divulgação)

Chris Brown revelou, com detalhes, como foi a noite em que ele foi preso após agredir fisicamente Rihanna, sua então namorada, em 2009. A revelação foi feita em seu novo documentário, ‘Chris Brown: Welcome To My Life’.

O trecho em que Chris Brown conta como o relacionamento foi por água abaixo até o dia em que ele a agrediu já circula pelas redes sociais. Fãs da cantora ficaram impressionados com o detalhamento da situação.

Início e brigas

Logo no início, Chris Brown conta que conheceu Rihanna quando ele tinha apenas 15 anos e ela, 16, em um show de 2004 na cidade de Nova York, nos Estados Unidos. A partir dali, os dois passaram a se envolver, se apaixonaram e tiveram um relacionamento duradouro.

A reviravolta na relação ocorreu quando Chris Brown revelou a Rihanna que havia dormido com outra pessoa antes de começar a namorá-la. A irritação aconteceu porque, anteriormente ele havia negado essa situação.

“Minha confiança foi toda perdida. Ela me odiava após isso. Eu tentei de tudo, mas ela não se importante. Ela simplesmente não confiava mais em mim depois disso. A partir daí, simplesmente tudo foi ladeira abaixo, porque existiam muitas brigas verbais e físicas também. Dos dois lados”, disse Brown.

O cantor disse que eles perceberam que as brigas estavam causando danos para ambos os lados. Entretanto, o casal lutou para conter as brigas que levavam às discussões mais acaloradas. Ele ainda contou que o relacionamento acabou após eles terem participado de uma festa pós-Grammy, em fevereiro de 2009.

Veja também:
Gusttavo Lima relembra casa de pau a pique e incêndio na infância

A agressão

Chris Brown disse que a agressão aconteceu, justamente, na noite do Grammy 2009. A mulher com quem ele se relacionou anteriormente se aproximou do casal no evento. Ele insistiu que não sabia que ela estaria presente no local.

“A cerimônia estava prestes a começar e ela estava chorando. Ela superou isso. Ela começou a beber um pouco, nós começamos a beber. Ficamos rindo, brincando. E então, fomos embora”, disse.

Na mesma noite, Rihanna descobriu uma mensagem de texto da mulher no celular de Brown, o que a levou a acreditar que ele sabia que ela estaria no evento. “Ela começou a perder a cabeça e jogou o celular: ‘Te odeio!’. Ela começou a me bater dentro da Lamborghini”, afirmou.

Brown disse que foi atingido algumas vezes por Rihanna. “Eu dizia para a gente se sentar, porque estava dizendo a verdade. Mas depois minha atitude foi meio: ‘agora eu vou ser mau’. Lembro que ela tentou me chutar, mas então eu realmente a acertei, com o punho fechado. Rachei o lábio dela”, revelou.

O artista ainda revelou sua reação após a agressão. “Quando eu vi, eu estava em choque. Pensava: ‘Por que diabos eu a acertei?’ Depois, ela apenas cuspiu na minha cara e isso me enfureceu ainda mais”, afirmou.

A briga continuou até que Chris Brown pegou o carro, o que fez Rihanna tentar tirar as chaves do contato do veículo. “Ela tirou as chaves do carro e fingiu que ia jogar pela janela. Saiído carro e fui procurar a chave, aí alguém gritou e então ela gritou: ‘me ajuda, ele está tentando me matar'”, disse ele, que reconheceu, ainda, ter mordido o braço da namorada enquanto dirigia e ainda a empurrou, o que gerou um ferimento na cabeça da cantora.

Veja também:
Globo é criticada após blackface de Helga Nemeczyk em 'Show dos Famosos'

‘Monstro’ e amor persistente

Chris Brown disse ter se sentindo um “monstro” por tal atitude “Olho para trás, vejo aquela foto (de Rihanna agredida) e digo que eu não sou assim, não sou eu. Eu me odeio até hoje. Isso vai me perseguir para sempre”, afirmou.

Após o episódio, Chris Brown e Rihanna ainda chegaram a se reconciliar em 2013. No entanto, pouco tempo depois terminaram o relacionamento.

O cantor ainda revelou que ama Rihanna, embora saiba que os dois não davam certo juntos. “Eu ainda amo Rihanna, mas eu vou ser honesto. Nós brigávamos, ela me batia, eu batia nela, nunca estava ok. Sempre chegava o ponto em que nós conversávamos tipo: ‘que m**da nós estamos fazendo?'”, pontuou.

* Por Estadão Conteúdo

#comentários