Fotos: Reprodução/Instagram/Divulgação

Filha de Dominguinhos vai homenagear o pai com série de shows virtuais

A cantora Liv Moraes – filha do ícone da música popular nordestina, Dominguinhos – está lançando uma série de seis shows online como homenagem aos 80 anos do pai, que faleceu aos 72 depois de lutar contra um câncer de pulmão.

O projeto ‘Liv Moraes: pontas e estrelas do meu coração’ foi realizado por meio da Lei Aldir Blanc, Ministério do Turismo, Secretaria Especial de Cultura, Governo do Estado de São Paulo e Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

Liv produziu e irá disponibilizar shows com acesso gratuito no YouTube – a serem exibidas entre os dias 19 e 29 de abril.

Veja também:
Zé Vaqueiro alcança impressionante marca de 1 bilhão de visualizações no YouTube

Filha do grande instrumentista, cantor e compositor Dominguinhos, Liv Moraes tem 20 anos de carreira como intérprete da Música Popular Brasileira, além de carregar o legado musical de seu pai no universo do forró.

As apresentações foram gravadas cada um em um espaço de São Paulo, com formação diferente de banda. Boa parte deles trafega pelo universo nordestino, sustentando o trabalho contínuo da intérprete na valorização deste ritmo.

Outros estão relacionados a trabalhos que a cantora desenvolve no universo da MPB e do Jazz e revelam as influências musicais da cantora.

Como não podia deixar de ser dada a importância do local para o próprio Dominguinhos, que gostava de celebrar seus aniversários lá, o show de abertura foi registrado na tradicional casa, reduto do forró pé de serra da cidade, Canto da Ema, em São Paulo, e será exibido na plataforma digital no dia 19 de abril.

Intitulado ‘Homenagem aos 80 anos de Dominguinhos’, o show será um tributo aos 80 anos de nascimento do sanfoneiro que teve como mestres Luiz Gonzaga e Orlando Silveira e trazia em sua formação musical influências de baião, bossa nova, choro, forró, xote e jazz.

No show, Liv estará no palco ao lado de Cosme Vieira (sanfona), Feeh Silva (zabumba), Elton Moraes (triângulo) e Kebinha (sax/flauta).

Estão programados para irem ao ar mais cinco shows em abril. No dia 21, ‘Dominguinhos em Jazz e Canção’, gravado no Espaço Leão, espaço de cultura na zona Norte de SP, e mostra um outro lado do artista, que, de acordo com a filha,fez canções com Rita Lee, Djavan, Chico Buarque, e passeou por todas as vertentes da música do mundo, incluindo jazz, blues, bossa nova”.

No dia 23 de abril, o show ‘Chora Sanfona’, gravado nos jardins do Museu de Arte Sacra de São Paulo, traz Liv ao lado do sanfoneiro Mestrinho, que acompanhou Dominguinhos durante um bom tempo nos palcos. “Temos uma história juntos e preparamos um show com músicas que não foram muito tocadas, adianta Liv.

“É uma missão trazer as músicas de meu pai que não estão tão em evidência para o público conhecer. Mestrinho toca lindamente e tem toda uma questão especial de nosso relacionamento, junto com meu pai, muitas histórias”. 

Gravado na Casa Museu Ema Klabin, o show ‘Dedicado à Você’ será transmitido dia 25 de abril e traz Liv ao lado do violonista Cainã Cavalcanti. O repertório é composto por canções da Música Popular Brasileira com composições de Fátima Guedes, Djavan, Chico Buarque, Alice Ruiz e Zeca Baleiro. “O título é o mesmo de uma música feita por Dominguinhos em parceria com Nando Cordel, que gravei em meu primeiro CD.”

Dividindo o palco com o sanfoneiro Renato Cigano, que gravou vários discos e acompanhou nos palcos Elba Ramalho, Alceu Valença, Moraes Moreira, Lenine, Yamandu Costa, Renato Teixeira e o próprio Dominguinhos, Liv apresenta ‘Sabiá Viajante’, no dia 27 de abril, gravado no jardim do Espaço Leão. De acordo com Liv, o show é dedicado a Luiz Gonzaga por conta da importância que ele tem na música e na vida de meu pai“. 

Para encerrar o projeto, no dia 29 de abril, quinta, às 20h, será exibido o show ‘Sopro de Mandacaru’, gravado na casa de Dora Guimarães, sanfoneira amiga de Dominguinhos. A proposta do show é tocar ritmos nordestinos, como frevo, maracatu e caboclinho.

Paulistana, 38 anos, Liv Moraes vive entre São Paulo e Pernambuco, cidades onde, após longo período dedicado aos cuidados com a saúde de seu pai, desenvolve sua carreira musical. A artista construiu uma trajetória musical madura.

Esteve no palco ao lado de Gilberto Gil, Elba Ramalho, Jane Duboc, Yamandu Costa, Fábio Júnior, Lenine, Fagner, Toninho Horta, Maestro Spok, entre outros músicos brasileiros reconhecidos internacionalmente.

Assista uma apresentação da dupla de pai e filha:

Jonas Esticado se consolida como o artista de forró mais ouvido em 2020

Compartilhar