Foto: Divulgação e Reprodução/Instagram

Mara Maravilha e sua carreira musical: do sucesso infantil ao gospel

Na atualidade, Mara Maravilha é mais conhecida pelas idas e vindas na bancada de fofoqueiros do ‘Fofocalizando’, nas tardes do SBT, e por se envolver em algumas polêmicas vez ou outra. O que muita gente talvez não se lembre é que ela teve uma extensa trajetória musical, que deu frutos até 2015 – quando ela lançou um álbum comemorando os 30 anos de carreira.

A influência das músicas de Mara Maravilha foi tamanha que, para a própria, traçando um paralelo, ela seria a “Anitta de sua época” – se referindo ao auge da carreira, em meados dos anos 1980. “Quando tinha a idade dela, eu era a Anitta, né”, disse Mara Maravilha durante uma entrevista em 2019.

Veja também:
Mara Maravilha diz que Michael Jackson imitou clipe dela; assista e compare

Nascida Eliemary Silva da Silveira, a baiana começou usando o nome artístico Miss Mara. O “Maravilha” só veio depois, quando ela foi rebatizada por Silvio Santos – quem deu a primeira chance de Mara Maravilha aparecer em rede nacional e iniciar a carreira musical que viria a render mais de 20 álbuns de estúdio.

Sucesso infantil no início

A carreira musical de Mara Maravilha teve início com seu primeiro álbum, lançado em 1982, quando ela tinha apenas 15 anos de idade. O disco traz um estilo mais pop romântico. Nos quatro anos seguintes, ela gravou e lançou outros dois compactos, que incluíam mais canções românticas e com referências à Bahia.

Veja também:
O lado controverso de John Lennon, que confessou ter desejo pela mãe

Em 1987, ela estreou como apresentadora no comando do ‘Show Maravilha’, também no SBT. ‘Morena dos baixinhos’ numa época que era marcada pelas loiras dos programas infantis (Xuxa, Angélica e Eliana), Mara seguiu os passos das concorrentes: ela cantava a abertura da atração e tudo deu muito certo ao reorganizar a carreira musical focada na criançada.

Veja a primeira abertura do ‘Show Maravilha’:

O tom das letras das músicas, é claro, mudou. De jovem apaixonada e desiludida, ela passou a cantar sobre alegria e diversão. “Solte o sorriso e vem brincar com a Mara… vilha”, canta a então apresentadora infantil na primeira faixa de ‘Maravilha’, lançado em 1987. O álbum fez sucesso no mercado fonográfico e ganhou a certificação de disco de ouro, com mais de 100 mil cópias vendidas.

No ano seguinte, a apresentadora infantil lançou ‘Mundo Maravilha’, o segundo álbum de estúdio da fase só para crianças. O disco repetiu o sucesso do primeiro, trazendo o segundo certificado de ouro da carreira musical de Mara Maravilha.

Veja também:
A carreira musical de Xuxa, que não se considera cantora, mas vendeu milhões

Em 1989, Mara Maravilha era sinônimo de lucro. Sucesso entre as crianças, ela virou linha de produtos: de material escolar a camisetas e até uma boneca própria. O brinquedo tinha duas versões – com roupa prateada ou dourada – e hoje é considerado item de colecionador, chegando a ser vendida por R$ 1,5 mil em sites de classificados nos dias de hoje.

Foto: Divulgação

Carreira musical de Mara Maravilha fica mais madura

Ainda em 1989, a cantora lançou ‘Mara’, um álbum de volta às raízes do pop romântico com melodias mais dançantes do que os compactos do início da carreira. Em 1990, ela surgiu com um visual ‘rock and roll’ na capa de ‘Deixa A Vida Rolar’, que recebeu o disco de diamante pelas mais de 1,2 milhão de cópias vendidas.

Divulgando o novo trabalho, Mara Maravilha fez sua primeira aparição no ‘Domingão do Faustão’, de Fausto Silva, na TV Globo. Na ocasião, ela apresentou ‘Não Faz Mal (Tô Carente, Mas Tô Legal)’ e ‘Liga Pra Mim’ – com direito a dançarinos, coreografia e plateia cantando junto.

Assista:

Mara Maravilha também protagonizou um ensaio nu para a ‘Playboy’, com a chamada “A nudez mais desejada da TV”. Deu muito o que falar na época, em 1990.

Anos depois, a cantora e apresentadora se converteria à religião evangélica e, desde então, diria muitas vezes o quanto se arrependeu de ter feito o ensaio sensual sem roupas.

Mesmo com as investidas em outros nichos, Mara ainda fazia sucesso entre o público infantil e lançou ‘Curumim’, com a faixa-título como grande single. O videoclipe chegou a contar com a participação de dez crianças indígenas.

A música também ganhou versão em espanhol e foi parar em ‘No Estoy Mal’, álbum só com canções nesse idioma, que foi lançado em 1992. Até aqui, Mara Maravilha já havia lançado dez álbuns. Numa reviravolta impressionante, a cantora decidiu mudar de uma vez por todas o foco de sua carreira…

A fase gospel da carreira musical de Mara Maravilha

Depois de ir do pop ao infantil e de volta ao pop (com alguns tons de pop rock), Mara Maravilha deu uma guinada na vida musical – e pessoal. Em depressão após uma temporada como apresentadora infantil na Argentina, ela voltou ao Brasil e revelou ao público que havia começado a frequentar uma igreja evangélica.

Mara passou um ano fora dos holofotes e só voltou de contrato assinado com a Record TV, onde apresentou o ‘Mara Maravilha Show’ e o ‘Mundo Maravilha’, dois novos programas infantis. O álbum ‘Reluz’, que foi lançado em 1996, já trouxe a faceta evangélica para a carreira musical de Mara.

Mas foi com ‘Abra Seu Coração’ que Mara Maravilha realmente tornou-se cantora gospel. A capa do álbum levava, inclusive, um coração que lembra o símbolo da Igreja Universal – instituição para a qual ela se converteu.

A partir daí, Mara seguiu alternando álbuns com músicas mais adultas sobre Jesus com trabalhos musicais infantis também focados no evangelho. Em 2000, ela lançou um disco com narrações dos Provérbios de Salomão – passagens da Bíblia.

Antes associada ao universo infantil, o sobrenome artístico ‘Maravilha’ passou a ser usado como adjetivo associado a Deus. Em 2000, ela lançou ‘Maravilhoso’ com 11 louvores evangélicos, incluindo a faixa-título. Um ano depois, Mara divulgou o álbum ‘Deus de Maravilhas’, que levava mais 11 músicas sobre religião, Deus e Jesus.

Longe da TV durante alguns anos, Mara Maravilha se dedicou à música gospel e lançou 13 álbuns de estúdio, incluindo os quatro volumes de ‘Mara Maravilha Para Os Pequeninos’, além de uma coletânea de canções românticas.

Veja também:
Unha encravada? A verdadeira causa da morte de Bob Marley

Em 2015, Mara Maravilha voltou aos holofotes como participante do reality show de confinamento ‘A Fazenda’, da Record TV. No mesmo ano, ela fez uma apresentação especial para gravar ‘Foi Assim’, em comemoração aos 30 anos de carreira. O álbum ao vivo consolidou os sucessos de antes e depois da vida gospel.

Discografia de Mara Maravilha:

1982 – ‘Mara’ (Compacto)

1987 – ‘Maravilha’

1988 – ‘Mundo Maravilha’

1989 – ‘Mara’

1990 – ‘Deixa A Vida Rolar’

1991 – ‘Curumim’

1992 – ‘No Estoy Mal’

1992 – ‘Show Maravilha’

1993 – ‘Importante é Ser Feliz’

1994 – ‘Mara’

1996 – ‘Reluz’

1997 – ‘Só Pra Criança’

1998 – ‘Abra Seu Coração’

1999 – ‘Coração Iluminado’

2000 – ‘Maravilhoso’

2001 – ‘Deus de Maravilhas’

2002 – ‘Mara Maravilha para os Pequeninos Vol. 1’

2003 – ‘Mara Maravilha para os Pequeninos Vol. 2’

2003 – ‘Feliz Pra Valer’

2004 – ‘Mara Maravilha para os Pequeninos Vol. 3’

2005 – ‘Joia Rara’

2006 – ‘Romântica’

2007 – ‘Importante É Amar’

2009 – ‘Novo Coração’

2012 – ‘Mara Maravilha para os Pequeninos Vol. 4’

2013 – ‘Vai Tudo Bem’

2015 – ‘Foi Assim – 30 Anos’

Mara Maravilha acredita ter sido a Anitta de sua época

Compartilhar