Foto: divulgação

Conversas de Japinha, baterista do CPM 22, com fã de 16 anos vazam na internet

Capturas de tela de uma conversa do baterista Ricardo Japinha, do CPM 22, com uma fã de 16 anos, vazaram nas redes sociais nos últimos dias. Os dois trocaram mensagens pelo Instagram em 2012. Em entrevista ao ‘G1‘, Japinha confirma que o diálogo existiu.

As conversas foram divulgadas na página ‘Exposed Emo‘, em que mulheres denunciam, anonimamente, supostos assédios e abusos sexuais de bandas de rock do Brasil, especialmente as do chamado “emocore”. Na maioria das situações, são divulgados apenas relatos, mas no caso de Japinha, os prints das conversas também foram revelados.

Veja também:
Veja quais as lives com shows de música marcadas para os próximos dias

Em clima de paquera, Japinha conversa com uma fã que queria visitar o camarim do CPM 22 durante um show em uma cidade que não foi especificada. A admiradora diz ter 16 anos e, logo em seguida, o baterista pergunta se ela já havia namorado “por muito tempo” e se “já fez amor”. A adolescente confirma ser virgem e o músico diz que, em função disso, ele “apaixona”. “Dá vontade de roubar você pra mim, já que você não foi realmente de ninguém”, diz ele.

Confira os prints da conversa de Japinha com a fã:

Fotos: reprodução / Twitter

Fotos: reprodução / Twitter

Fotos: reprodução / Twitter

Fotos: reprodução / Twitter

Fotos: reprodução / Twitter

Veja também:
Lembra do Restart? Saiba por onde andam os integrantes do grupo

Pelas redes sociais, Japinha publicou um comunicado em que declara: “Quem me conhece, de verdade, sabe da mina índole e do meu caráter, e que jamais agiria com o intuito de machucar alguém, seja física ou psicologicamente. Abomino qualquer forma de desrespeito ou abuso contra quem quer que seja”. O músico se colocou à disposição para esclarecimentos.

Depois, em entrevista ao ‘G1’, ele confirmou a veracidade das capturas de tela. “Aquela conversa aconteceu. Não tenho medo de admitir. Logicamente se eu pudesse voltar no tempo e não ter mais aquela conversa, até pela dor de cabeça que ela gerou, eu não teria. Mas eu me arrependeria de ter tido essa conversa, e não de ter feito alguma coisa errada, porque eu não fiz”, disse.

O músico comentou, ainda, que não fez nada de errado e só estava brincando. “Essa conversa específica realmente incomoda, incomoda até a mim. Eu fiz uma brincadeira naquele momento com a menina. Falei que eu tinha oitenta anos. Ninguém em sã consciência conseguiria acreditar. A menina fala que não adianta mentir, sabia que eu tinha 38. Aí eu dei risada”, afirmou.

Veja também:
O polêmico relacionamento de Caetano Veloso e Paula Lavigne

Japinha conta que “estava rolando um clima meio de paquera” e que foi procurado pela fã, mas que recuou após ela ter dito que tinha 16 anos e que já namorava. “Perguntei se ela tinha namorado. Ela falou que sim. Aí eu recuei. Brinquei e falei que não, eu tinha ciúmes. E aí ela falou que tinha 16 também, aí que eu recuei mais. Eu não tenho essa mania. Eu não gosto. Na estrada, chegava ao ponto de eu pedir RG para as meninas para não ter que tomar nenhum susto nesse sentido. E o principal: eu nunca vi essa menina pessoalmente. Nunca falei com ela”, disse.

O músico declarou que “conversar não mata ninguém” e falou sobre a situação em que conversa sobre a virgindade da adolescente. “Eu não fiquei falando que queria… Tudo bem, teve um papo lá de virgindade. Eu até brinquei em relação a virgindade. Mas nunca querendo… sabe? Depois que ela falou que tinha namorado, eu já evito mulher com namorado. E já brinquei falando que tinha ciúme. Foi esse o sentido da conversa”, afirmou ele, que disse que não quer brigar, mas que pode processar por calúnia quem o chamar de “pedófilo” e “estuprador” ou divulgar informações falsas a respeito dele.

Baixista Fernando Sanches deixa o CPM 22

Em meio a tudo isso, chamou atenção a saída do baixista Fernando Sanches, que integrava o CPM 22, em segunda passagem pela banda, há 4 anos. A razão não foi revelada. “Venho aqui por meio deste comunicar que estou me desligando da banda CPM 22. Muito obrigado por todos esses anos e agora me dedico apenas ao meu estúdio e a minhas outras bandas O Inimigo e Bonus Cup. Beijos e abraços a distância! Se cuidem”, afirmou o músico.

O desligamento de Fernando foi considerado repentino por alguns fãs, pois além de ter sido divulgado durante a polêmica com Japinha, sabe-se que o CPM 22 estava gravando um novo disco de estúdio. Porém, o baterista destaca que não foi informado sobre a razão da saída dele e que já existiam outros desentendimentos dentro da banda. “Não só comigo, mas com outros integrantes, como o Luciano (guitarrista)”, comentou, também ao ‘G1’.

Veja também:
Dançarina acusa Livinho de racismo; cantor rebate e diz que se retratou

Pelas redes, o perfil do CPM 22 ainda não comentou sobre a saída de Fernando, mas se manifestou sobre a situação envolvendo Japinha. “Fomos surpreendidos com postagens sobre o comportamento de um integrante da nossa banda. Somos um coletivo onde cada um responde por suas atividades. Mas uma coisa é clara, não compactuamos com atitudes desrespeitosas contra quem quer que seja. Nosso maior interesse é que tudo isso seja esclarecido o quanto antes”, diz.

View this post on Instagram

Mensagem a todos os fãs e amigos.

A post shared by CPM 22 (@cpm22) on

Veja também:
Veja quais as lives com shows de música marcadas para os próximos dias

Igor Miranda é jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical.

Compartilhar