Fotos: reprodução / Instagram

Suspeito de criar 150 perfis na web para ameaçar ex-noiva de Gabriel Diniz é preso

O homem suspeito de ameaçar a psicóloga e influenciadora digital Karoline Calheiros, ex-namorada do cantor Gabriel Diniz, foi preso na última segunda-feira (31). Ele é acusado pela Polícia Civil do Pará de criar 150 perfis nas redes sociais para intimidar Karoline.

O suspeito, cuja identidade não foi divulgada, foi preso em Castanhal, no nordeste do Pará, como resultado de uma operação que também envolveu a polícia do Alagoas. A justiça alagoana, inclusive, foi a responsável por expedir o mandado que culminou na detenção do homem.

Karoline Calheiros havia falado sobre as ameaças em junho deste ano, em uma série de vídeos no Instagram. A influenciadora digital disse que o homem em questão a acusava de ser responsável pelo acidente aéreo que matou Gabriel Diniz, do piloto Abraão Farias e do copiloto Linaldo Xavier Rodrigues.

“Desde que Gabriel faleceu, tem uma pessoa que me odeia, não sei o que se passa na cabeça dele. Ele me perturba todos os dias, perturba meus amigos, diz que eu sou a culpada pela morte de Gabriel, inventa que eu fiz um monte de coisas”, afirmou ela, relatando estar “tremendo de raiva” enquanto falava sobre o caso.

Na época, Karoline revelou que não sabia quem era o responsável pelas ameaças. O assédio e as ameaças transcendiam o campo das redes sociais: familiares dela chegavam a receber ligações telefônicas do homem.

Após ser preso, o homem confessou os crimes e disse que não há outros envolvidos. Ele está preso de forma temporária e o crime seguirá em investigação.

Por meio do Instagram, Karoline Calheiros falou sobre a prisão do homem. “Graças a Deus e graças ao DEIC daqui, em conjunto com a polícia do Pará, ele foi preso hoje e vai passar alguns dias na prisão para esclarecer essa situação. Mas tenho certeza que ele não vai me importunar mais, fiquem tranquilos. Estou muito aliviada e em paz”, declarou.

Ela também incentivou que as pessoas procurem ajuda da polícia caso sejam vítimas de crimes virtuais. “Para quem sofre algum tipo de ameaça nas redes: não subestimem. Procurem ajuda. Algo que a gente acha pequeno hoje pode se tornar muito maior amanhã. É melhor que a gente não espere para ver”, afirmou.

A morte de Gabriel Diniz

Foto: Fábio Rocha / Globo

Gabriel Diniz morreu em maio de 2019, aos 28 anos, após a queda de uma aeronave monomotor que o levava de um show em Feira de Santana, na Bahia, para Maceió, capital do Alagoas, onde ele iria se encontrar com Karoline Calheiros para celebrar o aniversário dela. O avião caiu próximo à cidade de Estância, no Sergipe, a 325 km do destino final.

Na época, ele estava no auge da carreira, após ter emplacado seu primeiro hit nacional: a música ‘Jenifer’.

O inquérito que investiga as circunstâncias do acidente ainda não foi concluído pela Polícia Federal (PF). A apuração apontou que o voo era irregular e havia sido contratado, supostamente, por R$ 4 mil.

Conforme apontado pelo Registro de Aeronáutico Brasileiro (RAB) da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e apurado pelo site ‘Uol’, o voo era irregular, pois a aeronave utilizada não tinha autorização para táxi aéreo. O uso do monomotor, de posse do Aeroclube de Alagoas, era restrito para instrução.

Em entrevista ao ‘Uol’, o delegado da PF que comanda o inquérito, Márcio Alberto Gomes Silva, explicou que a investigação segue sem conclusão até o momento porque laudos de peritos estão pendentes. “Assim que os laudos forem concluídos a gente vai, oportunamente, avaliar a eventual a responsabilidade dos proprietários da aeronave para promover ou não o indiciamento dessas pessoas”, afirmou.

Veja também:
Veja quais as lives com shows de música marcadas para os próximos dias

Igor Miranda é jornalista que escreve sobre música desde 2007 e com experiência na área cultural/musical.

Compartilhar